Tomate uma fruta muito utilizada em dietas

Apesar de normalmente ser usado como legume em saladas e pratos quentes, o tomate (da mesma família da berinjela, pimentão, pimentas, entre outros não comestíveis) é uma fruta muito utilizada em dietas de emagrecimento porque cada 100 gramas de tomate tem apenas 25 calorias, propriedades diuréticas, além de muita água. Originário das Américas Central e do Sul, sua utilização como alimentos teve origem no México, com os Astecas, espalhando-se por todo o mundo depois da colonização das Américas pelos europeus.

Diferente de muitos outros frutos, o tomate cozido é mais nutritivo do que cru, isso porque o licopeno (um antioxidante importante para o nosso organismo) é melhor absorvido nessa situação. Por isso, molhos e sopas são ótimos formas de consumi-lo. Também é fonte de vitaminas (A, complexo B e C), minerais indispensáveis para o corpo (potássio, sódio, fósforo, cálcio, magnésio e ferro) e fibras. De acordo com dados nutricionais, em uma unidade do tomate italiano, por exemplo, é possível encontrar:
– 147 mg de potássio;
– 15 g de fósforo;
– 7 g de magnésio;
– 6 g de cálcio;
– 8,5 mg de vitamina C.

Infelizmente o tomate é um dos alimentos mais prejudicados por agrotóxicos, devido à grande quantidade deles a que é exposto a fim de manter sua cor bonita, bem como a aparência. Sendo assim, é imprescindível lavar muito bem os tomates antes de prepara-los.

Leia também: Vitamina C vital para o organismo

Leia também: As propriedades nutricionais da berinjela

Benefícios do tomate

– Ajuda combater problemas cardiovasculares: O tomate, por ter elevada quantidade de antioxidantes, ajuda a manter os vasos sanguíneos saudáveis, além de possuir fibras que ajudam a diminuir os níveis de colesterol ruim, também conhecido por LDL.  Além disso, alguns estudos mostram que o consumo de licopeno (o antioxidante presente no tomate) na dieta também reduz o risco de infarto.

– Regula a pressão arterial: O tomate é rico em potássio, um mineral que ajuda a regular a pressão arterial. Além disso, por ser rico em água também cria um efeito diurético. Além de manter a pressão regulada, o tomate também evita a fraqueza e as cãibras musculares durante a atividade física intensa.

– Fortalecer o sistema imune: Devido ao seu conteúdo em vitamina C, consumir tomate ajuda a fortalecer as defesas naturais do organismo, pois ajuda a combater os radicais livres, que, em excesso, favorecem o aparecimento de várias doenças e infecções. Além disso, a vitamina C também é um excelente cicatrizante e facilita a absorção de ferro.

– Prevenir o câncer de próstata: O tomate é rico em licopeno, um pigmento carotenoide que exerce uma potente ação antioxidante no organismo, protegendo as células do efeito dos radicais livres, principalmente as células da próstata. Alguns estudos indicam que o consumo de molho de tomate aumenta as concentrações de licopeno no organismo, 2 a 3 vezes mais do que quando consumido na sua forma fresca ou em suco.

– Melhora a saúde dos ossos: Devido à presença de vitamina K e cálcio, o tomate ajuda a fortalecer e reparar os ossos. O licopeno, presente na composição do alimento, também ajuda a melhorar a massa óssea, uma ótima maneira de combater a osteoporose.

– Ajuda a reduzir níveis de açúcar no sangue: É fonte cromo, um mineral importante que ajuda os diabéticos a regular os níveis de açúcar no sangue.

– Cuida da visão, da pele e do cabelo: Por ser rico em carotenoides, os quais se transformam em vitamina A no organismo, o consumo de tomate ajuda a manter a saúde visual e da pele, além de fortalecer e dar brilho ao cabelo.

– Melhora as noites de sono: De acordo com um estudo da Universidade da Pensilvânia, aqueles que consomem mais licopeno dormem melhor em comparação às pessoas que não o fazem.

– Reduz a dor crônica: Devido à presença de agentes anti-inflamatórios como bioflavonoides e carotenoides, tomates podem reduzir dores crônicas. O consumo do fruto ajuda a reduzir a inflamação e ainda traz alívio da dor.

Tipos de tomates

Além de diferirem em seu formato, os tomates também podem ter variações em sua coloração. Apesar de ser bem mais comum encontra-lo na coloração vermelha, atualmente, novos tipos de tomate podem ser encontrados na cor rosada, amarela e laranja. Os dois últimos são mais difíceis de serem encontrados no Brasil. Conheça os mais comuns, encontrados com maior facilidade:

– Tomate Carmem: Também é conhecido como tomate ‘Longa vida’, porque dura bastante. É bom para fazer saladas, mas por ser muito aguado e pouco saboroso, não é o ideal para molhos. É o mais comercializado no país.

– Tomate caqui: Não é bom para fazer molhos, porém é excelente para fazer o vinagrete do churrasco. Não é muito adocicado, mas tem uma boa acidez e tem frescor no sabor.

– Tomate holandês: A apresentação dele é um pouco diferente, porque ele é comercializado em ramo. Não é um tomate muito ácido e é bem adocicado, excelente para saladas. 

– Tomate Débora: É um bom tomate para o dia a dia, serve para saladas e molhos (mas não é tão bom quanto o Tomate Italiano). Menos ácido do que o Tomate Carmem, porém tem mais sementes do que o Tomate Italiano, ideal para saladas. 

– Tomate Italiano: De formato alongado, é o melhor tomate para fazer molhos, porque tem menos sementes e é mais carnudo. A desvantagem é que ele é o mais sensível de todos, então ele não dura muito tempo. 

– Tomate Cereja: Um mini tomate bem adocicado, bem aguado, refrescante, ideal para fazer saladinhas, mas também para colocar em canapés e espetinhos.

– Tomate Sweet Grapes: O formato parece o de uma uva (daí o nome), mas se difere do Tomate Cereja, pois é um pouco alongado, parecendo um ‘Mini Tomate Italiano’. É bem mais doce do que o Tomate Cereja e mais carnudo também.