Sim, chocolate faz bem à saúde

É isso mesmo, chocolate faz bem à saúde! Mas isto não significa que você pode sair comendo todo tipo de chocolate, sem se preocupar com a quantidade. Estamos falando do chocolate amargo e meio amargo, pois ambos contém menor quantidade de açúcar e maior quantidade de cacau, e quanto mais cacau melhor para o organismo. Um dos doces com maior consenso de aceitação pela população em geral, o chocolate pode até te ajudar a emagrecer, entre outros muitos benefícios, quando consumido de maneira correta e ponderada.

Um dos benefícios do chocolate é fornecer energia ao organismo porque ele é rico em calorias, mas existem diferentes tipos de chocolate que têm composições muito diferentes e, por isso, os seus benefícios para a saúde também são muito distintos.

Trinta gramas de chocolate têm em média 120 calorias, para que estas calorias não se tornem gorduras acumuladas, o ideal é comer o chocolate no café da manhã ou no máximo como sobremesa após o almoço, pois assim, estas calorias serão gastas durante o dia. Se comer o chocolate a noite, quando o corpo fica em repouso, estas calorias provavelmente serão depositadas como gordura.

Quais os tipos de chocolates e suas características

– Chocolate amargo: Também conhecido por chocolate puro ou dark, é constituído por 60% até 85% de cacau, o que o torna rico em flavonóides, sua elaboração é feita com pouco açúcar e não tem leite na formulação, é de sabor amargo e coloração bem escura. É considerado o mais saudável entre todos os outros tipos de chocolate.

– Chocolate meio amargo: O próprio nome já esclarece, possui menos cacau (40 a 55%) que o chocolate amargo, tornando seu sabor mais suave e mais adocicado, pois contém maior adição de açúcar em sua composição que o amargo.

– Chocolate ao leite: Sem dúvidas o mais consumido entre os brasileiros, parte da sua massa de cacau é substituída por leite em pó, tem em sua composição entre 20% e 40% de cacau, além de leite e grande quantidade de açúcar. Muitos ainda podem conter licor de cacau.

– Chocolate branco: Alguns especialista nem o classificam como chocolate. Muito cremoso, apresenta coloração bem clara e sabor mais adocicado que os demais. Não contém cacau em sua composição, e sim manteiga de cacau, leite, lecitina e grande quantidade de açúcar.

– Chocolate Diet: Não leva açúcar em sua composição, estão presente em sua elaboração a massa de cacau e manteiga de cacau sendo que substâncias como sorbitol, sacarina e vanilina são introduzidas na substituição do açúcar.

– Chocolate Orgânico: Produzido em processo totalmente natural o chocolate orgânico é feito de sementes de cacau, que não são tratadas com fertilizantes, herbicidas ou pesticidas sintéticos. Além disso, os demais ingredientes também são orgânicos. Na sua composição não são utilizados ingredientes alergênicos, como o leite, o glúten e a gordura trans. Outro procedimento é que o chocolate orgânico é minimamente processado.

– Chocolate Ruby ou rosa: É um novo tipo de chocolate, acaba de chegar ao Brasil e é uma promessa de tendência para 2019, que contém 47% de cacau, leite e açúcar. Sua coloração rosa é natural, pois é feita a partir do grão de cacau Ruby, e não possui aromatizantes nem corantes. Ele é mais cremoso, frutado e possui um sabor doce e ao mesmo tempo cítrico. Como em sua produção os flavonóides são mantidos até o produto final (para manter a cor), ele é mais rico nesse nutriente.

– Chocolate Caramelisé: Constituido de uma massa dourada feita a partir do chocolate branco acrescido de caramelo, o que lhe confere um sabor único e uma textura extremamente cremosa.

– Chocolate em pó: Tem o mesmo processo de produção dos demais sendo feito com a amêndoa de cacau moída porém sua diferença é que não leva a manteiga de cacau. Produto que se apresenta no mercado com variações de teor de cacau, muito usado na culinária.

– Achocolatado: Não é considerado chocolate. Em sua composição temos uma mistura do produto em pó, açúcar em grande quantidade e leite. Muito utilizado no consumo geral para dar sabor ao leite (quente ou frio).

Leia também: A diferença entre alimentos diet e light

Leia também: Kopenhagen lança linha de chocolates saudáveis

Benefícios do chocolate

– Ajuda no processo de emagrecimento: O chocolate pode ajudar a emagrecer, desde que inserido dentro de uma alimentação balanceada. O doce é rico em cafeína, que acelera o metabolismo e ajuda a queimar calorias, mas é preciso ingerir a versão amarga, com muito cacau. A diminuição do estresse e da ansiedade e o aumento da saciedade também são benefícios que podem contribuir para eliminar mais rápido os quilos extras.

– Câncer de intestino: Pesquisadores da Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos, divulgaram em 2008 que o chocolate pode ajudar a combater o câncer de intestino. Isso porque algumas moléculas presentes no cacau, chamadas de procianidinas, possuem propriedades antioxidantes, que serviriam para proteger as células das degenerações do tumor.

– Bem-estar: A sensação de bem-estar causada pelo chocolate encontra respaldo na ação da endorfina, dopamina e serotonina, alguns cientistas afirmam que a delícia é capaz de aumentar a produção dessas substâncias.

– Fluxo arterial: Estudos mostram que o consumo do chocolate amargo melhora o fluxo arterial e faz bem à saúde cardiovascular por diminuir a tendência de coagulação das plaquetas e de obstrução dos vasos sanguíneos. Ajuda a diminuir os níveis de LDL (colesterol ruim).

– Saúde do coração: O chocolate tem efeitos benéficos para o coração. Cientistas da Universidade de Linkoping, na Suécia, descobriram que a versão amarga (rica em cacau) inibe uma enzima no organismo conhecida por elevar a pressão arterial. O resultado positivo é atribuído às catequinas e procianidinas, antioxidantes encontrados na iguaria.

– Saúde cerebral: O chocolate amargo pode reduzir os danos cerebrais após um acidente vascular cerebral, cientistas descobriram que um composto chamado epicatequina protege as células nervosas. Além disso por aumentar o fluxo de sangue para o cérebro devido às substâncias estimulantes como a cafeína e a teobromina, que também previnem o Alzheimer.

– Na gravidez: Chocolate durante gravidez pode ajudar a prevenir a pré-eclâmpsia (hipertensão). Uma pesquisa da Universidade Yale, nos Estados Unidos, sugere que mulheres que consomem o alimento ao menos cinco vezes por semana estão 40% menos propensas a desenvolver o problema do que aquelas que a consomem menos de uma vez. O composto teobromina, encontrado principalmente nas variedades amargas e meio amargas, pode ser o responsável pelo benefício.

– Ataques cardíacos: Pessoas que sobreviveram a ataques cardíacos e comem chocolate podem reduzir o risco de morrer por problemas do coração, segundo pesquisa realizada na Suécia. Testes mostraram que saborear o produto duas vezes por semana resultou em 66% menos chances de morrer de doença cardíaca e uma vez por semana reduziu o risco quase pela metade. Isso porque a delícia é rica em antioxidantes, que nos protege do envelhecimento causado pelos radicais livres.

– Dores: Ingerir chocolate pode aliviar dores, a distração de comer ou beber por prazer atuaria como um analgésico natural.

– Beleza: O chocolate é um aliado da beleza também, está presente em banhos de ofurô, massagens, máscaras e outros cosméticos. Além do alto poder hidratante, o produto combate os radicais livres, evitando a oxidação das células.

– Desgaste físico: Dois levantamentos realizados por cientistas da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, concluíram que leite com chocolate é a melhor bebida para se recuperar da atividade física. Os benefícios estariam na quantidade de carboidratos e proteínas da mistura.

– Protege a pele do sol: Graças aos seus compostos bioativos como os flavonóides, que protegem a pele contra os danos da radiação UV.