Ovo um excelente aliado da saúde

A algum tempo atrás o ovo era tido como o vilão das dietas, mas este conceito foi por ‘água abaixo’, na verdade hoje está comprovado que ele é um excelente aliado da saúde. O produto de origem animal é, na verdade, o grande trunfo para ganhar músculos além de garantir outros benefícios para o organismo. Os nutrientes da gema complementam o que a clara oferece. Para quem faz dieta, o ovo agrega às porções de carne e frango semanais.

O ovo oferece proteínas de alto valor biológico, uma vez que possui boa digestibilidade e oferece um perfil de aminoácidos completo, incluindo aminoácidos essenciais, ou seja, que o organismo é incapaz de produzir, devendo, portanto, serem obtidos pela alimentação. É na clara, que representa de 55 a 60% total do ovo, que se encontra a proteína na forma de albumina, que inclusive é considerada como a proteína de referência para comparar o valor nutritivo de proteínas presentes em outros alimentos.

As proteínas são necessárias para a síntese e recuperação muscular, sendo aliados para praticantes de exercícios físicos no desenvolvimento dos músculos, além de componentes fundamentais para o bom funcionamento do organismo como enzimas, hormônios e para o transporte de substâncias pelo sangue. Sua deficiência está relacionada a grande perda de massa muscular, queda de cabelo e unhas quebradiças, além de menor imunidade.

A gema, por sua vez, carrega vitaminas essenciais ao organismo, como a vitamina A, E e D (é inclusive uma das poucas fontes de vitamina D pela alimentação), presentes na gema justamente por serem vitaminas lipossolúveis, ou seja, solúveis em gorduras.

Leia também: Conheça a importância da proteína

Leia também: Frituras um mal que deve ser evitado

O tipo de gordura predominante da gema é do tipo monoinsaturada, considerada, um tipo de gordura “boa”. Além disso, o ovo possui vitaminas do complexo B, como a biotina, riboflavina e a colina, que se destaca por se tratar de um componente do neurotransmissor acetilcolina, responsável pelo funcionamento de diversas ações neurológicas, como contração muscular e memorização.

Corpo em forma

De acordo com pesquisas da Universidade de Connectcut (EUA), as pessoas que ingerem ovo na primeira refeição do dia se saciam com menos calorias durante as 24 horas seguintes, comparado a quem come apenas carboidratos. Coincidentemente, ou não, outro estudo que complementa a informação indica que pessoas com maior consumo de proteínas e menos carboidratos pela manhã, acham mais fácil manter o corpo em forma, segundo a Universidade de Illinois (EUA).

Ovo Cru

Tem gente que substitui a proteína pós-treino por ovo cru para garantir a construção da fibra muscular. Quando você coze a clara, uma proteína chamada avidina é inativada e você não aproveita a vitamina no desenvolvimento do músculo. Mesmo com essa vantagem, comer ovo cru não é bom. Há um grande risco de ser infectado pela salmonella, uma bactéria que poderá deixar você doente por um bom tempo.

Benefícios de consumir ovo

– Ganho de massa muscular: O ovo é extremamente importante para o ganho de massa muscular não só em virtude de sua alta concentração de proteínas de qualidade, mas também porque seu consumo regular promove um dos objetivos mais perseguidos pelos fisiculturistas: o aumento nos níveis de testosterona. A testosterona estimula o crescimento dos músculos, de modo que níveis altos desse hormônio possuem um efeito extremamente positivo.

Os benefícios do ovo para o aumento nos níveis de testosterona se devem sobretudo à concentração de gorduras saudáveis. Verdadeiramente decisiva, porém, é a presença do zinco. Esse mineral, indispensável para a produção da testosterona, não é tão facilmente encontrado em outras fontes.

– Previne o envelhecimento precoce: O alimento possui nutrientes com ação antioxidante, como carotenóides, vitaminas A e E, ácido fólico, zinco, magnésio e selênio, que ajudam a proteger as células da ação danosa dos radicais livres, retardando seu envelhecimento.

– Auxilia a perda de peso: Ovos contêm poucos carboidratos, ou seja, são considerados low carb, mas possuem muita proteína e gordura (a maior parte das gorduras de um ovo é formada por gorduras saudáveis: apenas 28% de suas gorduras são saturadas). Um ovo inteiro possui apenas aproximadamente 70 calorias. Considerado o valor nutricional e as propriedades positivas dos ovos, trata-se de um valor consideravelmente baixo. Pela presença de proteínas, sobretudo (aproximadamente 6g numa unidade média, considerando que 1 ovo médio tem equivalência calórica muito próxima à 1 porção de fruta), traz mais saciedade em comparação ao consumo da mesma porção de carboidratos.

– O ovo é aliado da pele, unhas e cabelo: O ovo deixa a pele mais bonita e combate a flacidez,  pois é rico em proteínas de alta qualidade, favorecendo, então, a produção de colágeno. Além disso, pode ajudar quem tem cabelo quebradiço e unhas fracas, já que tem vitaminas do complexo B e biotina, um nutriente que promove o crescimento do cabelo saudável e combate a fragilidade das unhas.

– Prevenir catarata e perda da visão: Contém vitamina A, luteína e zeaxantina, substâncias essenciais para a saúde dos olhos.

Riscos de consumo e contra indicações

Por ser um alimento rico em proteína, o excesso pode aumentar o ácido úrico, colaborar para a perda de cálcio nos ossos, aumentar as chances de cálculo renal e aumento de colesterol.

Para ser frito, é necessário a adição de algum tipo de gordura, agregando calorias extras à alimentação, que vão se somando, considerando o consumo de mais de uma unidade no decorrer do dia. Estima-se que uma unidade média de ovo cozido apresente em média 70 calorias e, ao fritá-lo, esse valor sobe para quase 120 calorias. As altas temperaturas, necessárias para a fritura, também acarretam a perda de compostos antioxidantes termo sensíveis, como a vitamina E.

Alguns estudos sugerem uma associação de risco entre o consumo de ovo e pacientes diabéticos. Outros sugerem exatamente o contrário. Portanto, é interessante que portadores da doença conversem com seu médico sobre ingerir o alimento.

Pessoas com colesterol elevado também devem consultar o médico sobre o consumo do ovo, bem como pessoas que possuem insuficiência renal, insuficiência hepática, osteoporose, osteopenia.