O papel dos antioxidantes em nosso organismo

Antioxidantes são substâncias capazes de atrasar e inibir a oxidação de um substrato oxidável. O papel dos antioxidantes em nosso organismo é proteger as células sadias contra a ação oxidante dos radicais livres, apesar de fundamentais para a saúde, quando em excesso, os radicais livres passam a oxidar células saudáveis, como proteínas, lipídios e DNA, favorecendo o surgimento de doenças crônicas, como a aterosclerose, a obesidade, o diabetes, a hipertensão, doenças degenerativas (como o Alzheimer e Parkinson), e alguns tipos de câncer.

E o que a alimentação tem haver com isso? Tudo! Uma dieta rica no consumo de antioxidantes colabora para a redução da situação de estresse oxidativo (desequilíbrio entre os níveis de radicais livres e antioxidantes).

Os antioxidantes atuam de duas formas sob os radicais livres: inibindo sua formação e reparando as lesões já causadas. A primeira está relacionada à inibição de reações em cadeia que envolvem sua formação; e o segundo, na remoção de células danificadas, seguida da reconstituição das membranas celulares.

Os antioxidantes também interceptam os radicais livres e impedem o ataque destes sobre os lipídeos, aminoácidos, proteínas, ácidos graxos poli-insaturados e bases do DNA, protegendo as células de lesões. Antioxidantes obtidos por meio da dieta rica em vitaminas, flavanóides, carotenoides, entre outros são fundamentais neste processo.

Leia também: Os antioxidantes e as doenças neurodegenerativas

Leia também: Vitamina C vital para o organismo

Sistemas de defesa antioxidante

– Sistema enzimático (endógeno): O sistema enzimático é formado por um conjunto de enzimas produzidas naturalmente pelo organismo. Contudo, a eficiência deste sistema de produção tende a diminuir com o passar dos anos. Portanto, é importante manter a qualidade do segundo sistema de defesa, o não enzimático, por meio da ingestão de alimentos ricos em antioxidantes.

– Sistema não enzimático (exógeno): Composto por grupos de substâncias como vitaminas, substâncias vegetais e sais minerais que podem ser ingeridos por meio da dieta alimentar e suplementos.

Os principais antioxidantes do sistema não enzimático

– Betacaroteno e licopeno: São carotenoides, corantes naturais presentes nas frutas e nos vegetais. Atuam como antioxidantes, pois sequestram o oxigênio, reduzindo a disponibilidade de radicais livres para realizarem reações oxidativas. Estão associados à prevenção de carcinogênese e aterogênese, por serem capazes de proteger moléculas como lipídios, proteínas e DNA de sofrerem oxidação. Além disso, são percursores da vitamina A no organismo.

Onde são encontrados: Cenoura, tomate, laranja, pêssego, abóbora. Em vegetais verde escuros, como brócolis, ervilha e espinafre.

– Curcumina: É um pigmento que ocorre naturalmente nas raízes da cúrcuma. Muito usada como tempero na culinária indiana, a cúrcuma sequestra os radicais livres e inibe a danificação dos ácidos graxos poli-insaturados das membranas celulares.

Onde é encontrado: Cúrcuma, açafrão e curry.

– Flavonoides: Os flavonoides são um conjunto de substâncias produzidas naturalmente por vegetais para colaborar na proteção contra a radiação solar e combater organismos patógenos. Têm a capacidade de inibir a atividade das enzimas responsáveis pela produção dos radicais livres, evitando portanto, sua formação.

Onde são encontrados: uva, morango, maçã, romã, mirtilo (blueberry), framboesa e em outras frutas de coloração avermelhada. Em vegetais como brócolis, espinafre, salsa e couve. Nas nozes, soja, linhaça. Por fim, em bebidas, como no vinho tinto, chás, café e cerveja, e até no chocolate e no mel.

– Vitamina A (retinol): A vitamina A tem a capacidade de se combinar com alguns radicais livres, antes que estes provoquem lesões.

Onde é encontrada: Presente em alimentos como cenoura, espinafre, manga e mamão.

– Vitamina C (ácido ascórbico): Solúvel em água (hidrossolúvel), portanto, reage com radicais livres disponíveis em meio aquoso, como o que existe no interior da célula. A vitamina C também é capaz de regenerar vitamina E e de manter as enzimas do sistema antioxidante endógeno em estados reduzidos, poupando principalmente a glutationa.

Onde é encontrada: Melão, melão cantaloupe, acerola, frutas cítricas (laranjas, limões, tangerinas) kiwi, manga, mamão, abacaxi, mirtilo, abacate, morango e  framboesa. Em vegetais como brócolis, couve de bruxelas, couve flor, pimentão vermelho e verde, espinafre, batata, batata doce, moranga e tomate.

– Vitamina E (tocoferois): A vitamina E é um conjunto de tocoferois, sendo o mais importante como agente antioxidante, o alfa tocoferol. A vitamina E é solúvel em gordura (lipossolúvel), portanto, atua protegendo as membranas celulares (formadas por lipídios) da ação dos radicais livres. Também protege as lipoproteínas de baixa densidade (LDL) que atuam no transporte do colesterol.

Onde é encontrada: Óleos vegetais e derivados, folhas verdes, oleagionosas (castanha do pará, avelã, amêndoa, nozes) e sementes, cereais integrais e vegetais folhosos como espinafre, agrião, rúcula, entre outros.

– Cobre: Essencial para o bom funcionamento do sistema de auto defesa endógeno, pois influencia a ação da enzima superóxido dismutase.

Onde é encontrado: Feijão, grãos de bico, lentilhas, sementes de girassol, amendoim, abacate, passas, nozes, amêndoas e legumes.

– Selênio: Atua em conjunto com a vitamina E, combatendo a ação dos radicais livres. Colabora também para a formação normal da tireoide.

Onde é encontrado: Principalmente castanha do pará, arroz integral e sementes de girassol. O selênio é um mineral presente no solo e, por isso, a sua quantidade nos alimentos varia de acordo com a riqueza do solo nesse mineral.

– Zinco: Da mesma forma que o cobre, influencia a atuação da enzima superóxido dismutase.

Onde é encontrado: Sementes de abóbora, feijão de soja cozido, abacate, amêndoa e amendoim são fontes de zinco.

Os antioxidantes também podem ser encontrados em suplementos nutricionais e em produtos de cosmética anti envelhecimento. Alguns exemplos de remédios ricos em antioxidantes são os suplementos multi vitamínicos, os de ômega-3, os de vitamina C e os de betacaroteno.

Nos produtos de cosmética, os antioxidantes são utilizados principalmente para prevenir o envelhecimento precoce. Esses produtos normalmente usam mais de um tipo de antioxidante, muitas vezes aliado ao colágeno, pois isso aumenta os seus benefícios para a pele.

É importante lembrar que a suplementação de antioxidantes deve ser feita de acordo com orientação médica ou do nutricionista, e que uma alimentação saudável é necessária para que os efeitos benéficos dos antioxidantes sejam alcançados.

Fontes: e-Cycle; U.S. National Library of Medicine; National Center for Complementary and Integrative Health; Harvard T. H. Chan