O mal que o Fast Food faz a saúde

Fast Food é um termo em inglês que significa “comida rápida”, são considerados fast foods alimentos preparados num pequeno intervalo de tempo, que ficam pré-prontos no estoque do estabelecimento. Na maioria dos casos o mal que o fast food faz a saúde é algo absurdo, após comer fast food, que são alimentos ricos em carboidratos simples, sal, gorduras e conservantes artificiais, o organismo passa primeiramente por um estado de êxtase pela efeito do açúcar no cérebro, após isso as consequências são graves.

O mal que o fast food faz a saúde

Embora existam algumas maneiras de comer uma refeição equilibrada e nutritiva em um restaurante de fast food, as opções não saudáveis são mais comuns e atraentes.

Na maior parte das vezes, os alimentos de fast food (como sanduíches, hambúrgueres, pizzas, batatas fritas, milk shakes, nuggets e sorvete) são desprovidos de nutrientes básicos para o bom funcionamento do corpo humano, e fartos em gorduras e açúcares, com altíssimo nível de calorias, o que favorece, e muito, a obesidade. A atual sociedade, na qual as pessoas têm pouco tempo para realizar atividades pessoais, inclusive para comer, produz a cada dia mais consumidores deste tipo de alimento, e aumenta as taxas de obesidade e outros problemas alimentares como hipertensão e doenças cardíacas.

Muitas crianças crescem em meio às redes de fast food, que veem nos pequenos um potencial grupo de consumidores. Comidas muito saborosas, com muitos elementos como molhos, frituras, queijos e nas sobremesas sorvetes, caldas, chocolates, enfim, uma enorme lista de ingredientes sedutores que fascinam até mesmo adultos, o que faz das crianças alvos fáceis de serem persuadidos. Além do mal que o fast food faz a saúde, o montante de dinheiro investido em propagandas para o segmento é enorme, segundo estudos realizados pela EAE Business School, o valor por habitante despendido no Brasil com fast food foi de 265 reais em 2014 e esse consumo deve aumentar em 30,88% até o ano de 2019. Essa expectativa é uma das maiores entre os países que fizeram parte da pesquisa, como Espanha com 48,61% e China com 23,99%. 

Leia também: A alimentação na adolescência

Leia também: Gordura trans, porque evita-la

O que acontece no organismo até 1 hora depois de consumir no fast food

Os dados a seguir são exemplos do que acontece após comer um hambúrguer de fast food tipo Big Mac.

10 minutos depois: Euforia

O excesso de calorias e açúcares vindos da comida causa uma sensação de segurança e euforia no cérebro, que foi feito de forma a pensar que quanto mais caloria tiver para armazenar, mais segurança poderá dar ao organismo, mas que passa rapidamente.

20 minutos depois: Pico de glicemia

Os pães de fast foods são ricos em xarope de frutose, um tipo de açúcar que entra rapidamente na corrente sanguínea e faz elevar a glicemia. Esse pico de açúcar no sangue  leva à produção do neurotransmissor dopamina, responsável por dar uma sensação de prazer e bem estar. Este efeito no organismo é similar ao das drogas, e é um dos responsáveis pela necessidade criada no organismo de estar se alimentando frequentemente em fast foods.

30 minutos depois: Pico de pressão

Todos os fast foods normalmente são muito ricos em sódio, o componente do sal que é o responsável pelo aumento da pressão arterial. Cerca de 30 minutos depois de comer um sanduíche, o sódio estará em excesso na corrente sanguínea e os rins irão ter que eliminar mais água para reduzir esse excesso. No entanto, esse ajuste obrigatório causa desidratação, que muitas vezes é confundida com fome e cria uma nova vontade de comer mais fast food. Se esse ciclo se repetir constantemente, o problema de hipertensão certamente irá aparecer.

40 minutos depois: Vontade de comer mais

Após cerca de 40 minutos aparece uma nova vontade de comer, devido ao descontrole do açúcar no sangue. Logo após a ingestão do sanduíche, a glicemia aumenta e o organismo é obrigado a liberar hormônios que fazem o açúcar no sangue baixar, a fim de controlar o pico de açúcar que houve. Sempre que o açúcar no sangue baixa, ocorre o disparo de sinais que indicam que o organismo está necessitando de comida, pois seus níveis de açúcar precisam ser repostos com mais alimentos.

60 minutos: Digestão Lenta

Em geral, o corpo demora de um a três dias para digerir completamente uma refeição. No entanto, por ser rico em gordura, conservantes e gorduras trans, o fast food normalmente leva mais de 3 dias para ser totalmente digerido, e a gordura trans contida nele pode demorar até 50 dias para ser processada. Além disso, esse tipo de gordura contém o LDL (colesterol ruim) que é o mais ligado a problemas cardíacos, obesidade, câncer e diabetes.

Outros problemas gerados pelos fast foods

Além dos efeitos logo após a ingestão de fast food, outras alterações podem ocorrer a longo prazo, como:

– Ganho de peso, devido ao excesso de calorias;

– Cansaço, devido ao excesso de carboidratos;

– Aumento no colesterol ruim (LDL), por conter gorduras trans;

– Espinhas no rosto, pois o aumento do açúcar no sangue favorece o surgimento da acne;

– Inchaço, devido à retenção de líquidos que o excesso de sal causa;

– Aumento do risco de câncer, devido ao alto teor de gordura trans e substâncias químicas como o ftalato, que causam alterações nas células.

Comer em fast foods não deve ser expressamente proibido, no entanto, é necessário que se tenha bom senso ao frequentar tais restaurantes. Ter uma alimentação balanceada, rica em nutrientes e praticar exercícios físicos mantém o corpo saudável, e quem é saudável pode dar-se ao luxo de, esporadicamente, ir a algum estabelecimento de fast food e comer moderadamente.

O problema esta em fazer disso uma prática do cotidiano e substituir a alimentação básica. Assim como os adultos, as crianças também podem comer alimentos de fast food, mas em pequenas quantidades e esporadicamente, reduzindo o mal que o fast food faz a saúde.