Jambolão uma fruta exótica originária da Índia

O jambolão é uma fruta exótica originária da Índia, seu nome científico é Syzygium cumini, uma planta pertencente à família Mirtaceae, a mesma família das jabuticabas e pitangas. Também conhecido como jalão, jamburão, kambol, jambú, azeitona do nordeste, ameixa roxa, murta, baga de freira, guapê, jambuí, azeitona da terra entre outros.

O jambolão é pequeno, de forma ovoide, possui cor roxa quando amadurece. Bem doce com um toque azedo, a fruta apresenta sabor adstringente e agradável ao paladar. O fruto é consumido ‘in natura’, além de servir para a fabricação de doces, tortas, sorvetes, vinho, vinagre, compotas e geleias.

As propriedades medicinais do jambolão não são atribuídas apenas ao seu fruto. Existem relatos de inúmeras propriedades atribuídas também ao seu caule e as suas folhas. Dentre estas propriedades, destacam-se ações anti inflamatórias e carcinogênicas (caule) e antibacteriana, antiviral, antifúngica e antialérgica (folhas).

Leia também: Vitamina C vital para o organismo

Leia também: Os antioxidantes e as doenças neurodegenerativas

É interessante observar que vários artigos científicos sobre o jambolão foram escritos e publicados por grupos brasileiros. Um dos principais grupos é o do Dr. Claudio Coimbra Teixeira, do Departamento de Farmacologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e seus artigos foram publicados em algumas importantes revistas científicas.

O jambolão conta com 73kcal a cada 100 gramas da fruta, 0,66 gramas de proteína e 1,8 gramas de fibras alimentares. Além de ser rica em vitamina C (36 miligramas a cada 100 gramas da fruta), também podemos encontrar em sua composição nutricional a vitamina A, vitamina B1 (tiamina), B6 (piridoxina), vitamina E, e minerais como cálcio, fósforo, magnésio, ferro, potássio, cobre, zinco e sódio.

Benefícios do jambolão

– Possui ação antioxidante: A cor roxa desta fruta se deve à presença das antocianinas em sua composição, no entanto, dar a coloração à fruta não é a sua única função. As antocianinas, juntamente com a alta concentração de vitamina C da fruta, atuam no combate aos radicais livres, principais causadores do envelhecimento precoce da pele, doenças degenerativas como Alzheimer, mal de Parkinson e até alguns tipos de câncer. 

Embora alimentos ricos em antioxidantes ajudem a evitar o câncer de uma maneira geral, como dito, o jamelão é especialmente indicado para tratar a leucemia. Cientistas da Unicamp, a Universidade Estadual de Campinas, descobriram que a fruta é capaz de destruir, em média, 90% das células leucêmicas.

– Promove  saúde intestinal: É um alimento com alto teor de fibras, o que significa que permite que o intestino fique regulado e funcione melhor. Portanto, ajuda a evitar problemas como a diarreia e a prisão de ventre. Além disso, alivia dores abdominais e ainda acaba com aquela sensação de inchaço, que uma grande inimiga de quem está tentando emagrecer.

– Controla a diabetes: As folhas de jambolão são utilizadas popularmente para o controle do diabetes.  Esse efeito é atribuído a possível ação que a planta mimetiza as ações da insulina, regulando a glicemia e influenciando no metabolismo e estoque de glicogênio hepático. No entanto, segundo o Dr. Rodrigo O. Moreira, Médico Colaborador do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia (IEDE) do Rio de Janeiro,  não há consenso específico referente ao mecanismo de ação que justifique a utilização da planta para o controle da glicemia.

– Aumenta a imunidade: Manter a imunidade do corpo sempre em dia é essencial para prevenir doenças e obter uma melhor qualidade de vida, principalmente em época de pandemia. O jambolão, possui propriedades terapêuticas ideais para ajudar a combater inflamações, bactérias, vírus e alergias pelo organismo.

– Trata inflamações da pele: É usado em forma de loções para aplicações na pele para tratar doenças e diminuir inflamações como a micose, eczema e psoríase.

Riscos de consumo e efeito colaterais

Náusea, diarreia e outros efeitos no trato gastrointestinal foram observados em casos raros. Mesmo que ainda controverso, o efeito hipoglicemiante é relatado, dessa forma deve ser consumido com cautela por diabéticos, sempre monitorando os níveis de glicose no sangue, para evitar hipoglicemia.

Durante a gravidez e amamentação, deve-se consultar o médico antes do consumo, principalmente de chás, extratos e tinturas.

O consumo do chá não deve ser feito sem orientação médica, pois é forte e pode causar intoxicação caso não seja feito com indicação médica e nas proporções corretas.