Frituras um mal que deve ser evitado

Todas as pessoas já ouviram falar em algum momento da vida que as frituras não fazem bem ao organismo humano. Apesar disso, muitas insistem em consumir frituras regularmente talvez por não saber exatamente o quanto este tipo de alimento prejudica o funcionamento saudável de seu corpo. As frituras são um mal que deve ser evitado a todo custo, os malefícios que o consumo em excesso de alimentos fritos acarretam à saúde são muitos, entre eles, doenças cardiovasculares, resistência à insulina e má absorção de nutrientes.

Quando a comida é colocada no óleo muito quente, já em estado de ebulição, este possui a propriedade de alterar as estruturas orgânicas e químicas do alimento submetido a ele. Com o calor resultante do aquecimento os importantes componentes de gorduras e óleos, os triglicerídios são desmembrados em ácidos graxos e glicerol. Pela ação contínua do calor o glicerol acaba provocando a desidratação molecular. Com a desidratação, que é o processo de perda de água, é formada uma substância denominada acroleína, que apresenta um potencial altamente cancerígeno.

A acroleína destrói as fibras elásticas das artérias e irrita as mucosas gastrointestinal e nasal. As artérias que têm suas fibras elásticas destruídas acarretam na degeneração e envelhecimento precoce, pois a capacidade de impulsionar o sangue através do corpo é reduzida gradativamente.

Leia também: Porque consumir azeite de oliva

Leia também: Transgênicos Parte 1 – o que são e suas aplicações

Os malefícios que a fritura causa ao organismo

– Engorda muito: É fato que as frituras contém muitas calorias, uma grama de gordura possui nove calorias, o que é muito! Quando fritamos um alimento de modo padrão, ele absorve 30% de seu peso em gordura. Se você frita, por exemplo, um bife de 60 gramas, a carne ganha 18 gramas de óleo, ou 127 calorias a mais. Sendo assim, 100 gramas de bife à milanesa frito carregam 375 calorias, enquanto o mesmo bife se preparado assado, tem apenas 210 calorias.

– Menos nutrientes: No processo de fritar, um alimento é submetido ao óleo vegetal em uma temperatura altíssima, uma das reações químicas é que alimento perde água e, com ela grande parte de seus nutrientes, principalmente substâncias antioxidantes, como as vitaminas. Consequentemente, seu organismo pode se sentir desnutrido e dar a sensação de fome, fazendo com que  você necessite ingerir mais alimento.

– Alto índice glicêmico: Ao comer um alimento rico em gordura, com alto índice glicêmico, como as frituras, você pode ter um pico de insulina. Com isso seu corpo absorve rapidamente as células de glicose, causando o mesmo efeito que a falta de nutrientes: seu corpo irá ‘pedir’ mais alimento.

– Aumento do risco de doenças cardíacas: Quando os alimentos são submetidos a óleos em alta temperatura, transformam-se em gorduras saturadas. O acúmulo dessa gordura nas artérias impede a passagem do sangue ao coração, aumentando a pressão arterial, o que pode causar um infarto ou um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

– Aumenta o risco de câncer: Como dito antes a acroleína, formada pela desidratação molecular, causada pelo calor ao que os óleos são submetidos nas frituras, é uma substância potencialmente cancerígena.

– A fritura torna os alimentos inflamatórios: Os alimentos fritos apresentam características inflamatórias, que causam o acúmulo de gordura abdominal e resistência à insulina. Tais fatores aumentam a sensação de cansaço e falta de energia, além de prejudicar a absorção ideal de nutrientes e até mesmo a interferir na fertilidade.

– Contribui para o envelhecimento: Além da acroleína, que por si só já favorece o envelhecimento precoce, a gordura saturada, presente nas frituras, é um fator que contribui para o aumento da produção de radicais livres em nosso organismo. A liberação excessiva de radicais livres causa um fenômeno conhecido como estresse oxidativo, que está associado ao envelhecimento.

Como tornar a fritura menos prejudicial

Se você realmente quer comer uma fritura, é bom saber de algumas dicas para seu organismo não sair tão prejudicado:

– Nunca reutilize o óleo para novas frituras, pois ele se transformara em gordura trans saturada, ou gordura trans.

– Coma fritura junto com outros alimentos, porque isso ajuda seu corpo a processar a glicose mais lentamente, evitando picos de insulina e diminuindo o acúmulo de gordura.

– O óleo de canola, assim como o azeite, são menos propensos à oxidação. Assim sendo são considerados boas opções para serem utilizados em frituras, pois são ricos em ácidos graxos saturados e monoinsaturados e, portanto, bem mais estável quando submetido ao calor.

– Evite frituras tipo ‘à milanesa’, ou empanados, pois estes alimentos, devido a farinha utilizada no processo, tendem a acumular uma maior quantidade de gordura.

– Outra dica muito importante é lembrar que todo alimento em excesso é prejudicial ao organismo, sendo assim, se você não quiser abrir mão da fritura, tenha sempre em mente a prudência, nunca consuma frituras de forma regular, mesmo seguindo as dicas acima.