Figo uma flor com poderosa composição

Isso mesmo, apesar de ser popularmente conhecido como uma fruta, o figo, é, na verdade, uma flor, e com uma poderosa composição nutricional. A figueira, que foi uma das primeiras plantas cultivadas pelo homem, não floresce como as demais árvores frutíferas, as flores da figueira são invertidas. Isso quer dizer que essas flores se abrem dentro de um receptáculo em formato de pera, amadurece e se transforma no figo propriamente dito. Dentro de cada figo, existem muitas flores que geram apenas um fruto cada, aquelas pequenas sementes, que são responsáveis pela sua crocância.

O figo é um dos ‘frutos’ mais conhecidos e populares em todo o mundo, principalmente aqui no Brasil, onde há o hábito de se fazer doces e compotas. Muito marcante pelo sabor, com cores que variam do amarelo ao roxo, ele também tem seu alto valor nutricional importante para a saúde do corpo.

Os benefícios do figo são diversos devido à alta quantidade de nutrientes que ele possui: vitamina A, B e K, potássio, ferro, fósforo, cálcio, magnésio, fibras (solúveis e insolúveis), antioxidantes e ácidos graxos. Além disso, tanto a ‘fruta’ quanto as suas folhas tem propriedades medicinais.

Leia também: Ferro de suma importância para atletas

Leia também: A difícil arte de fazer dieta e ser mãe

Os tipos de figo

Existem centenas de tipos de figo, que podem ser classificados de formas diversas: figos para comer ‘in natura’, para se desidratar, de acordo com suas cores e quanto ao seu tipo de flor. Embora no Brasil seja’ consumido apenas o figo ‘comum’, vale a pena conhecer algumas classificações:

– Figos para consumo fresco destacam-se: Lampa Branco, Lampa Preto, Bebera Branca, Bebera Preta, Burjassota Branca e Vindimo.

– Figos para desidratar: Rei Branco, Rei Preto, Pingo de mel e Branco Regional.

Em relação as suas flores os figos podem ser classificados da seguinte forma:

– Smirna (Ficus carica smyrniaca): apresentam apenas flores femininas.

– Caprifigos (Ficus carica silvestris): apresentam apenas flores masculinas.

– São Pedro (Ficus carica intermedia): apresentam partenocarpia e fecundação cruzada.

– Comum (Ficus carica hortensis): não formam sementes (os aquênios são ocos), mas produzem frutos por partenocarpia e não por fecundação

Benefícios do figo

– Reduz a pressão arterial: Os figos são uma boa fonte de potássio, que é um mineral que pode ajudar no controle da pressão arterial e batimentos cardíacos. O consumo regular de figo pode auxiliar na deficiência de Potássio, já que o baixo consumo deste, combinado com a ingestão de sódio, pode levar à hipertensão.

– Auxilia na perda de peso: O figo pode ser considerado uma boa fonte de fibra dietética. Pessoas que consomem figos regularmente podem notar que as fibras podem oferecer sensação de saciedade, o que reduz a fome, assim ingere-se menos porções, não favorecendo ao ganho excessivo de peso. Além disso o figo possui poucas calorias (74 Kcal para cada 100 gramas).

– Reduz a fadiga muscular: O consumo de fibras pode ajudar nos níveis de energia, é importante que saibamos que metade das fibras ingeridas são absorvidas por bactérias. As fibras ingeridas podem ser então absorvidas e enviadas diretamente para os músculos, sendo reconhecida como uma fonte de combustível imediato. Essa energia produzida combate a fadiga e colabora com o efeito anabólico, aumentando o rendimento nos treinos e exercício.

– Ajuda a prevenir o câncer de mama: Sendo o figo uma fruta rica em fibras, foi comprovado que o maior consumo dessas fibras pode reduzir até 34% do risco de ocorrência de câncer de mama.

– Ajuda no controle da diabetes: Esse efeito não só se limita à ingestão da fruta, mas também das folhas de figueira. A ‘fruta’ e as folhas possuem propriedades antidiabéticas, o ácido clorogênico é um dos principais responsáveis por esses benefícios do figo, podendo ser eficiente para o equilíbrio dos níveis de insulina necessários para as pessoas que sofrem com diabetes.

– Fluxo intestinal: Os figos podem agir positivamente contra constipação intestinal, assim estimulando o funcionamento regular do seu intestino. As fibras contidas no fruto podem manter seu organismo mais limpo através do efeito levemente laxativo, já que haverá a eliminação regular de toxinas. A limpeza do canal anal também pode reverter consequências originadas de hemorroidas.

– Evita a anemia: Os figos são ricos em Ferro, principal mineral para o controle de glóbulos vermelhos e prevenção de anemias.

– Antioxidantes: O figo é auxiliar no aumento significativo na capacidade antioxidante do organismo, permitindo que o corpo supere estresses oxidativos de consumo de alimentos pouco saudáveis. Quanto mais escuros, maior a capacidade antioxidante e quantidade de fitonutrientes.

– Ação anti inflamatória: Os figos possuem alto nível do flavonoide luteolina, componente que oferece ações anti-inflamatórias específicas para todo o corpo. A luteolina possui capacidade antioxidante forte que pode neutralizar radicais livres e pode ser eficaz no bloqueio de crescimento de tumores, além de auxiliar na prevenção e tratamento de cancro da pele.

– Fortalece os ossos: O figo ainda pode favorecer os ossos, pois a fruta é rica em cálcio e potássio, nutrientes fundamentais para a prevenção de osteoporose e aumento da densidade óssea.

Riscos de consumo e efeitos colaterais

No caso da fruta fresca é necessário tomar cuidado na hora de adquiri-la, já que quanto mais madura, mais vulnerável à presença de fungos, algo que pode vir a causar desconforto intestinal.

Pessoas que sofrem com acidez do estômago e artrite devem comer esta fruta com moderação.

A casca da fruta é comestível, porém é necessário lavá-la em água corrente para retirar o excesso de cobre (geralmente presente devido à aplicação de produtos agrícolas), mas que não é perigoso para o consumidor porque não chega a penetrar no interior da fruta.