Elastina uma proteína de função estrutural

A elastina é uma proteína de função estrutural que forma fibras elásticas bastante abundantes em nosso organismo. É composta pelos aminoácidos glicina, alanina, valina e prolina. A elastina tem propriedades comparáveis às da borracha, podendo ser esticada várias vezes o seu tamanho e depois voltar à sua dimensão inicial. Encontra-se no tecido elástico dos pulmões, nos grandes vasos, nos ligamentos e na derme. Cada molécula de elastina se estende quando a fibra é esticada e se recolhe logo que a força de alongamento é relaxada, ou seja, a elastina confere resistência e elasticidade a estas fibras.

Qual a diferença entre elastina e colágeno

A elastina é a proteína com mais resistência no nosso corpo e se caracteriza por formar fibras mais finas que aquelas formadas pelo colágeno. Ela não está presente em abundância no nosso corpo, mas aparece principalmente nos pulmões, em grandes vasos sanguíneos, ligamentos e, claro, na pele.

Na pele, a elastina vai se unir às fibras do colágeno, e com isso evitar o envelhecimento. Ainda assim, esse processo se intensifica naturalmente após os 30 anos. Isso porque é nessa idade que uma enzima que degrada essas proteínas começa a atuar. E é aí que é ainda mais importante consumir alimentos ricos nesses nutrientes.

Leia também: Colágeno entenda melhor esta proteína

Leia também: Boas razões para comer brócolis

Já o colágeno é uma das proteínas mais abundantes em nosso corpo e é responsável por dar sustentação às nossas células. Isso significa que ele ajuda a formar cartilagens, ligamentos, ossos, tendões e até a pele. Por outro lado, quando há uma deficiência de colágeno o corpo começa a apresentar problemas justamente nessas áreas onde a proteína atua, como inflamação nas juntas, doenças de pele e até estrias. Inclusive, o aparecimento de rugas e de celulite também está associado a ele.

Alguns fatores evitam essa degradação natural da elastina e do colágeno, como não fumar, praticar exercícios físicos e ter uma dieta balanceada.

Principais fontes de elastina

Apesar do organismo parar de produzir elastina quando o indivíduo ainda é jovem, é fundamental buscar a proteína sempre que possível por meio da alimentação, para aproveitar de seus benefícios ao máximo. Para ‘preservar’ a elastina, deve-se ter uma alimentação rica em ômega 3, antioxidantes, vitamina C, polifenóis, vegetais verdes, frutas cítricas e ovos.

Tanto a elastina quanto o colágeno não podem ser absorvidos diretamente pela pele, então não existem cremes de elastina, por exemplo. Porém, é possível encontrar produtos que podem ser passados no corpo para estimular a síntese da proteína. O uso tópico de ácido retinóico e derivados da vitamina A ajudam a aumentar a síntese de elastina.

Abaixo listamos alguns alimentos que devem estar sempre no seu cardápio para manter um bom nível de elastina no organismo.

– Oleaginosas: Alimentos como castanhas, avelã, amêndoas, nozes e macadâmia, enfim, as oleaginosas, são fontes de ômega 3 e antioxidantes, que estimulam a produção de elastina. Esses agentes, por sua vez, combatem os radicais livres, prevenindo a oxidação das células e, consequentemente, o envelhecimento precoce.

– Frutas cítricas: Limão, tangerina e laranja são frutas ricas em vitamina C. Esse nutriente, além de trazer outros benefícios, incentiva a produção de elastina no organismo, melhorando a saúde da pele.

– Brócolis: Muita gente não sabe, mas o brócolis também é rico em vitamina C. Além disso, ele ainda possui cobre. Esse mineral potencializa a produção da elastina quando é somado à vitamina C, que é exatamente o que o vegetal oferece.

– Abacate: Além de ser muito gostoso e nutritivo, o abacate é rico em elastina e ômega 3, que possui antioxidantes que melhoram a pele e previnem seu envelhecimento. Ele também é rico em óleos, o que faz com que possua poder nutritivo para o tecido epitelial.

– Óleos vegetais: Óleos vegetais no geral são muito bons para a pele porque a hidratam e nutrem tanto de dentro para fora, quanto de fora para dentro. Uma boa dica é o azeite de oliva, que além de ser um óleo vegetal, também contém ômega 3. É muito mais indicado dar preferência sempre ao azeite extravirgem.

– Gema de ovo: A gema de ovo é um ótimo alimento para incluir em uma dieta de quem procura melhorar a saúde da pele. Isso porque ela é rica em proteínas e vitaminas do complexo B, que também favorecem a produção de elastina no corpo.

– Cenoura: Esse alimento geralmente é consumido no verão, especialmente por quem busca ter um bronzeado perfeito e saudável. A cenoura faz bem para a pele por conter betacaroteno, elastina e ser rica em vitamina A, que ainda protege os olhos.

– Gérmen de trigo: O gérmen de trigo é um alimento famoso por trazer benefícios à pele. Ele contém poderosos antioxidantes, que retardam o envelhecimento, produzem elastina e proporcionam mais firmeza e hidratação. Por isso, pode adicioná-lo à sua alimentação sem medo!