Cereja mais que uma experiência gustativa

Seja para finalizar um bolo ou simplesmente para ser consumida ‘in natura’, a cereja tem um sabor e aparência incríveis, que se adapta a diversas situações. Delicada e avermelhada, mais que uma experiência gustativa, uma fruta repleta de benefícios para nossa saúde. As cerejas comercializadas geralmente são obtidas de cultivos de um número limitado de espécies, como a cerejeira-brava (Prunus avium) e a cereja-ácida (Prunus cerasus, ou Ginja). A Ginja, de polpa bem mais firme, é usada na fabricação de conservas, compotas e bebidas licorosas, como o kirsch, ginjinha e o marasquino.

Cada 100 gramas da fruta possuem apenas 63kcal e 0,2 de gorduras, rica em fibras e carboidratos, a cereja oferece vitaminas A, C e algumas do complexo B. Minerais como cálcio, ferro, magnésio, fósforo e potássio, são alguns minerais presentes em sua composição com quantidade mais significativa. As cerejas ainda contém boa quantidade de água e outros compostos como carotenoides, flavonoides, lipídios e antocianinas.

A melhor forma de consumir cerejas é ‘in natura‘ mas consumi-las em em compotas ou geleias, com pouco ou sem açúcar, também podem ser opções saudáveis.

Benefícios da cereja

– Reduz colesterol, diabetes e pressão alta: As cerejas são ricas em antocianinas, que além de proporcionarem sua cor avermelhada, ativam os genes envolvidos no metabolismo do corpo, controlando glicose e gordura. Essa ação reduz o colesterol alto, diabetes e a pressão alta.

– Protege contra a diabetes: Isso é dito porque as cerejas têm baixos níveis glicêmicos, menor do que outras frutas como uva, mirtilos ou mesmo pêssegos. Seu consumo, especialmente para diabéticos, é extremamente aconselhado.

– Reduz a dor muscular: Atletas que consumiram o suco de cereja antes de uma corrida de longa distância sentiram menos dores do que os que não consumiram, isso graças às propriedades e benefícios da cereja antioxidantes e anti-inflamatórios, que auxiliam no dano muscular e nas dores.

– Menor risco de AVC e maior proteção para o coração: As cerejas podem ativar os receptores de peroxissoma nos tecidos do corpo. Esses receptores, também conhecidos como PPAR, ajudam a reduzir o risco de doenças cardíacas. Além disso, as cerejas são ricas em potássio, que ajudam a regular o ritmo cardíaco, a pressão sanguínea, e reduzir o risco de hipertensão e de fitoesterois que auxiliam na redução do mau colesterol (LDL).

– Atua contra artrite, gota, fibromialgia entre outras lesões: Algumas pesquisas mostram que a fruta pode atuar como um anti-inflamatório. A gota, por exemplo, ocorre quando processos metabólicos que controlam a quantidade de ácido úrico no sangue não realizam o trabalho de forma eficaz, com isso formando cristais nas articulações. Comer a fruta em jejum diminui em 15% anormalidades em relação a quantidade de ácido úrico corpo.

No caso da artrite, por conta das substâncias anti-inflamatórias, a fruta auxilia na diminuição da inflamações e, consequentemente, da dor.

– Atua contra envelhecimento, doenças neurológicas e câncer: As cerejas promovem o antioxidante fenólico poliflavonoide como a luteína, zeaxantina e o betacaroteno, que atuam no combate aos radicais livres e algumas espécies de reações de oxigênio, combatendo assim o envelhecimento, doenças neurológicas, condições de pré-diabetes e alguns cânceres, que também são prevenidos por conta das fibras, vitamina C, e das antocianinas presentes na cereja.

– Combate dores de cabeça e insônia: É possível encontrar na composição da cereja alguns tipos de antioxidantes, entre eles a antocianina, cianidina, quercetina (mais potente entre os antioxidantes) e a melatonina, que possui efeito calmante sobre os neurônios do cérebro, acalmando a irritabilidade do sistema nervoso, e consequentemente aliviando problemas de dores de cabeça e insônia. Um dos importantes benefícios da cereja é fazer com que a pessoa tenha uma melhor duração e qualidade do sono.

– Promove a limpeza do organismo: Por possuir efeito laxante e diurético a fruta proporciona uma limpeza completa no organismo, eliminando toxinas e líquidos retidos em variadas partes do corpo. Além disso a grande quantidade de fibras alimentares ajudam no bom funcionamento do trato intestinal, o que também colabora com este benefício das cerejas.

Riscos de consumo e efeitos colaterais

Como as cerejas são muito ricas em tanino, consumida em excesso pode provocar problemas estomacais, não sendo aconselhável consumir mais de 200 gramas da fruta por dia.