Bife vegetariano criado em impressora 3D

Depois do hambúrguer à base de plantas que é ‘idêntico‘ ao de animal, uma das grandes tendências dos últimos anos, uma startup espanhola apresenta o bife vegetariano ‘mais realista‘ já criado em uma impressora 3D.

Com sede em Barcelona, a empresa Novameat está dando o que falar na Europa por inventar um bife vegetariano que apresenta a mesma textura, aparência e sabor de um pedaço de carne animal, que na verdade é a base de plantas e ingredientes como ervilhas, algas e suco de beterraba. Os ingredientes são estruturados em finas fibras para recriar o tecido muscular e dar a aparência de um bife real.

Em entrevista para o The Guardian, o fundador da Novameat, Giuseppe Scionti informou que o bife ‘impresso‘ em 3D estará disponível em alguns restaurantes na Espanha e na Itália até 2021. O produto, apresentado pela primeira vez em 2018, esteve em fase de testes nos últimos anos e agora o ‘bife 2.0’ está próximo de ser lançado.

Leia também: Carne de laboratório e insetos desafiando proteínas vegetais

Leia também: Nutrigenômica, o futuro da alimentação

Até então, durante suas pesquisas, Scionti descobriu que a maior parte das alternativas vegetais as carnes animais se limitavam a hambúrgueres, nuggets ou almôndegas. Além disso, essas opções não tinham textura fibrosa de carne bovina, suína ou de frango. A partir disso, Scionti usou a engenharia de tecidos e bioimpressão e criou um produto vegano com a mesma consistência, aparência e propriedades nutricionais que os produtos de origem animal. 

E se a ideia de uma comida ‘impressa‘ for muito maluca para você, Scionti a defende: ele diz que é a impressora 3D que faz o bife ‘fake‘ ser tão ‘real‘. A tecnologia patenteada pela Novameat produz fibras entre 100 e 500 mícrons de diâmetro. Isso permite que a estrutura complexa da carne real seja replicada, com fibras musculares e gorduras entrelaçadas.

O futuro

Isso nos faz refletir um pouco mais a fundo sobre qual será o futuro da nossa alimentação. Será que num futuro próximo nossas cozinhas terão junto a geladeira, o fogão e o microondas, uma impressora 3D? Ainda não sabemos, soa como um filme de ficção científica, mas é nítido que a tecnologia continua trazendo alternativas à produtos de origem animal.

O grande desafio da Novameat, por agora, é baratear o custo de produção da carne à base de plantas. Custa cerca de US$ 1,50 para produzir 50 gramas de bife. Mas, em larga escala, o preço diminuiria e seria possível produzir 50 quilos de bife em apenas uma hora.

Uma alternativa sustentável

Embora seja importante, e não é apenas uma questão de vegetarianismo, a produção de carne bovina é responsável por 14,5% do total atual de emissões de gases do efeito estufa produzidas pelo homem, e isso reflete no planeta como um todo.

Segundo, Scionti “Os últimos relatórios da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) mostram que a atual criação de gado em larga escala não é mais sustentável globalmente. Para obter a mesma quantidade de calorias dos alimentos, a pecuária requer 70 vezes mais solo do que o necessário para cultivar frutas e verduras, além disso, o gado usa cerca de 30% da terra arável global e mais de 25% da água doce do mundo”.

Uma preocupação para o bioengenheiro é que “Se continuarmos com o sistema atual, no futuro haverá pouca chance de ter recursos para distribuir alimentos para todos. É por essas razões que encontrar outra maneira de produzir alimentos saudáveis ​​e econômicos, que contenham todos os nutrientes fundamentais nos ajudará a administrar melhor os recursos alimentares do nosso planeta”.

Novameat não é a única preocupada com carnes animais

A Novameat não é a única empresa investindo nesse tipo de alimento, ultimamente diversas startups estão revolucionando a maneira como comemos carne.

Por exemplo, pensando no futuro, a Alemanha já investiu US$ 780 mil nas texturas de carnes veganas. Assim como o Canadá, que investiu US$ 153 milhões na Protein Industries Canada, uma empresa sem fins lucrativos, de instituições de pequeno a grande porte envolvidas na fabricação de alimentos, agricultura e serviços relacionados a alimentos, pesquisa e desenvolvimento e tecnologia.

E não são apenas carnes animais, hoje em dia podemos encontrar diversas tecnologias estudando melhores formas de produzir queijos veganos, leites vegetais, e até alternativas a base de plantas para os ovos.

Podemos esperar bons resultados desse projeto. Isso é uma ótima forma de mostrarmos o sabor de novos alimentos e das novas alternativas aos não veganos. Já sabemos que a carne animal causa diversos perigos para o meio ambiente e para nossa saúde, porém existem uma certa repulsa à essa alternativa, mas conforme as empresas e a tecnologia se voltam para essas questões, mais próximos estamos de levar o veganismo para todos.

Fontes: Hypeness; Vegan Business