Baunilha além de aromática possui propriedades medicinais

Baunilha é uma especiaria usada como aromatizante, obtida de orquídeas do género Vanilla, nativas do México. O que nem todos sabem é que além de ser saborosa e aromática, a baunilha também possui propriedades medicinais que podem ser muito úteis no dia a dia. A desvantagem dessa especiaria é seu elevado valor comercial, devido, em parte, ao minucioso trabalho que supõe a sua elaboração. Inicialmente os frutos são praticamente inodoros e para conseguir a especiaria suave e agradavelmente perfumada que conhecemos, é necessária uma preparação minuciosa e metódica. 

A baunilha é originária do continente americano, especialmente da América Central. Hoje em dia ela também cresce em outras regiões tropicais do mundo, tais como Madagáscar, Zanzibar (Tanzânia) ou Indonésia.

A baunilha possui uma composição nutricional bem variada, como a maioria de outras especiarias. Embora neste alimento a composição nutricional não seja tão relevante, devido as pequenas quantidades que a especiaria é utilizada, ela contém carboidratos, fibras, gorduras, proteína, vitaminas do complexo B, pectina e vestígios de minerais, como cálcio, magnésio, potássio, ferro e zinco. O principal componente do extrato da semente de baunilha é a vanilina, responsável pelo aroma e pelo odor característicos da especiaria.

Leia também: Ervas aromáticas

Leia também: A alimentação interfere no desempenho sexual?

Tipos de baunilha

A origem e a espécie são as duas características principais que determinam o sabor, a aparência e o aroma de uma baunilha. Existem duas espécies principais de orquídea do gênero vanilla: planifolia e tahitiensis.

– Espécie planifolia (folha plana): É cultivada em grande parte do mundo, como México e Madagascar. É a espécie mais produzida pelo alto teor de vanilina, ingrediente ativo responsável pelo sabor. Mas tal como o vinho, o local onde a baunilha é cultivada desempenha um papel importante no aroma e no sabor de uma fava de baunilha, pois cada país tem um método único de curar e secar a baunilha.

  • A baunilha planifolia cultivada no México possui um sabor levemente amadeirado, doce e apimentado, semelhante ao cravo-da-índia ou noz-moscada. Funciona especialmente bem com chocolate, frutas cítricas, canela, cravo e outras especiarias quentes.
  • A baunilha planifolia cultivada em Madagascar possui um sabor doce e aveludado. Esta baunilha é muito versátil e pode ser utilizada em receitas quentes e frias.
    Muitas vezes, você verá o nome Madagascar-Bourbon na embalagem, Bourbon era o antigo nome da ilha La Réunion, departamento francês localizado no oceano Índico, próximo à Madagascar. No século XVIII, a orquídea mexicana foi contrabandeada para a Ilha Bourbon, onde foi iniciada a produção desta baunilha graças a polinização manual da orquídea.

– Espécie tahitiensis ou baunilha do Taiti: Tem um sabor mais floral e um teor de vanilina mais baixo que a espécie planifolia. Esta baunilha é muito suscetível ao calor, por isso é indicada para alimentos congelados e refrigerados.

A fava de baunilha

As favas de baunilha são úmidas, saborosas e aromáticas. O sabor rico e clássico da baunilha é encontrado na fava e nos grãos. Este é um ingrediente muito caro e deve ser reservado para preparações especiais.

A conservação da fava é simples, elas devem ser mantidas em recipiente hermético e em local escuro e seco por um período de 6 a 8 meses. Na geladeira, a fava pode adquirir mofo devido à umidade. Após a utilização dos grãos, a fava vazia pode ser utilizada para aromatizar receitas ou açúcar.

Para extrair os grãos da fava corte ela ao meio com uma faca e abra-a de uma ponta a outra, com a ‘costa’ da faca raspe a parte interna da fava. Esse processo vai gerar uma pasta espessa e escura, formada pelos grãos.

Caso a fava esteja muito ressecada, você pode colocá-la em imersão em água por algumas horas. Após isso proceder como descrito acima.

Outras apresentações da baunilha

Existem diversas apresentações da baunilha, além da baunilha ‘in natura’ (extrato natural, aroma artificial, pasta de baunilha natural, pó de baunilha natural e açúcar baunilhado). Porém, nós do Nutrição & Prazer, vamos abordar apenas as apresentações mais acessíveis no Brasil:

– Extrato natural: O extrato natural de baunilha é produzido através da maceração e infusão de grãos de baunilha numa solução de água e álcool etílico. No Brasil, a solução 70% de álcool com no mínimo 12% de baunilha. O álcool etílico é um bom solvente e possui sabor neutro, embora outras bebidas alcoólicas podem ser usadas.

Os extratos são excelentes substitutos para os grãos da baunilha, principalmente para receitas submetidas ao calor moderado, pois o álcool evapora com o calor. Este produto deve ser reservado para receitas especiais, pois possui um valor elevado.

– Açúcar baunilhado: É preparado com açúcar granulado branco ou demerara e a fava da baunilha moída. É uma excelente maneira de reaproveitar a fava da baunilha, após a extração das sementes. Este açúcar será moído finamente, por isso sua dissolução será rápida, sendo indicado para bolos, biscoitos, merengues, cremes, mousses e sorvetes. Também é ótimo para compotas, geleias e para adoçar bebidas frias.

Também existe uma versão industrializada preparada com açúcar refinado ou de confeiteiro, aromatizados com extrato de baunilha, e não com a fava moída. Esta versão é excelente para polvilhar sobre frutas frescas, torradas, bolinhos, biscoitos, cereais. Também pode ser adicionada em bebidas, como chá, café, cappuccino e chocolate quente ou frio.

Há também o açúcar baunilhado aromatizado artificialmente com aroma artificial de baunilha. A vantagem desta versão é seu custo muito reduzido.

– Aroma artificial: Esta é a apresentação mais conhecida, facilmente encontrada em mercados, mercearias e outros comércios. É um subproduto da produção de papel ou um derivado do alcatrão de carvão, fabricado quimicamente através de processos razoavelmente simples e baratos, é não leva baunilha em sua composição. Por ser tão barata, a demanda global anual pela imitação ultrapassa largamente a da baunilha natural. Isso significa que boa parte dos produtos com “sabor baunilha” que você consome são feitos com o substituto artificial.

Benefícios medicinais da baunilha

A baunilha, possui propriedades tônicas, estimulantes, digestivas, antiespasmódicas, antissépticas e afrodisíacas. Um dos princípios ativos é a vanilina, que também é responsável por retardar o envelhecimento das células, além de frear e combater as doenças que possam afetar o funcionamento cerebral, como o Mal de Alzheimer e algumas doenças psiquiátricas. Previne ainda o aparecimento das células cancerígenas.

Atua ainda como um excelente relaxante para aqueles que sofrem com ansiedade, depressão, insônia, hiperatividade, além de ser um relaxante muscular. É um ótimo digestivo e pode ser usada também no tratamento de infecções urinárias e uterinas, esterilidade, reumatismo, flatulências, espasmos e diarreia.

Riscos de consumo e efeitos colaterais

A baunilha é contraindicada para lactantes, gestantes, crianças com menos de 6 anos, pacientes com gastrite, alergias respiratórias, síndrome do intestino irritado, enfermidade de Crohn, colite ulcerosa, Mal de Parkinson, hepatopatias, epilepsia, úlcera, hipersensibilidade ao óleo de canela, óleo de bálsamo ou óleo essencial de baunilha, além daqueles que possuem enfermidades neurológicas.

A superdosagem de baunilha é neurotóxica, podendo causar dermatite de contato e provocar náuseas.