Astaxantina um dos mais poderosos antioxidantes

A astaxantina é um carotenoide natural encontrado principalmente na vida marinha, de cor extremamente intensa que vai do amarelo alaranjado ao vermelho intenso, e é considerado um dos mais poderosos antioxidantes encontrados na natureza. Outra peculiaridade é que, ao contrário de outros carotenoides, não se converte em Vitamina A no corpo humano, o que pode ser uma vantagem, já que a vitamina A, em excesso é tóxica ao corpo humano, mas a astaxantina não.

Os carotenoides são responsáveis pelas cores dos alimentos e a astaxantina não foge à regra: salmões, lagostas, camarões, krills e outras espécies marinhas tem sua coloração avermelhada devido a esse complemento nutricional natural fazer parte de sua alimentação. Inclusive outro bom exemplo é o flamingo, que adquire a coloração rosada ao longo de sua vida devido a sua alimentação também rica nesse tipo de carotenoide. A fonte mais rica de astaxantina é a alga de água doce conhecida como Haematococcus pluvialis.

Mesmo sendo encontrada no salmão, em ovos de arenque ou nos suplementos de óleo de krill, essas quantidades de astaxantina nessas fontes são muito pequenas comparadas aos extratos da H. pluvialis. Por exemplo, o nível de astaxantina natural em uma cápsula de óleo de peixe ou krill está na faixa de 100 mcg (0,1 mg). Essa quantidade não se compara aos 4 a 12 mg por cápsula de suplemento de astaxantina derivados a H. pluvialis.

Leia também: Betacaroteno um pigmento antioxidante natural

Leia também: Os antioxidantes e as doenças neurodegenerativas

Benefícios da astaxantina

– Forte efeito antioxidante: Sua principal qualidade é seu poderoso efeito antioxidante (mais de 65 vezes mais forte que a vitamina C, 50 vezes mais poderosa que o beta-caroteno e 10 vezes mais potente que a vitamina E), que neutraliza a ação dos radicais livres que podem ser a causa de inúmeras doenças degenerativas como a doença de Alzheimer e Parkinson.

Em estudos, foi apontado que tomar 4mg de astaxantina diariamente, por 4 semanas, reduz os níveis sanguíneos de malondialdeído, um marcador do estresse oxidativo.

– Ajuda na saúde ocular: O carotenoide apresenta efeitos positivos em pessoas com degeneração macular, bem como efeitos protetores em indivíduos com pressão intraocular elevada.

– Age como anti inflamatório: As propriedades anti-inflamatórias da astaxantina são capazes de reduzir o risco de doenças como cataratas, demência e Alzheimer. Ainda fornecem proteção para seu cérebro, olhos e sistema nervoso central. Isso acontece pela capacidade que a substância tem de inibir a ativação de macrófagos (célula de defesa do organismo), suspendendo a secreção de citocinas pró-inflamatórias e reduzindo a degradação de matriz extracelular e membranas basais.

– Protege o sistema cardiovascular: Pesquisas apresentaram a capacidade da astaxantina para inibir a oxidação da lipoproteína de baixa densidade (LDL), levando os pesquisadores a concluir que ela pode ajudar a proteger contra aterosclerose (acúmulo de gorduras e colesterol nas paredes das artérias).

Outras pesquisas têm mostrado efeitos cardioprotetores, que podem ser atribuídos à sua atividade antioxidante e ação anti-inflamatória, tal como evidenciado por uma redução nos níveis da proteína C-reativa. Vale lembrar que essa proteína está presente no sangue e tem suas concentrações elevadas em quadros de inflamação ou infecção.

Além disso, os adultos com sobrepeso e obesos apresentaram uma diminuição da peroxidação lipídica (processo referente à degradação oxidativa dos lipídios).

– Promove efeito antimicrobiano contra a Helicobacter pylori: Estudos sugerem que a astaxantina pode ter efeitos gastroprotetores contra a Helicobacter pylori, uma espécie de bactéria que coloniza naturalmente a mucosa do estômago do ser humano, e esta relacionada ao desenvolvimento de úlceras estomacais e câncer de estômago.

– Aumenta a fertilidade: Outra evidência indicada em pesquisas clínicas é a de que a substância pode auxiliar casais que pretendem engravidar. Homens com infertilidade (considerados inférteis por pelo menos 12 meses antes do tratamento) que tomaram 16 gramas de astaxantina por três meses tiveram um aumento nos parâmetros de esperma e fertilidade. O aumento foi de cinco vezes a taxa total de gravidez em comparação com o período no qual eles foram submetidos ao placebo.

– Equilibra a testosterona: Ainda, em outros estudos, o uso da astaxantina (in vitro astaxantina 300mcg/ml) demonstrou a capacidade de inibir a enzima 5-alfa-reductase, que converte a testosterona em di-hidrotestosterona (DHT), um hormônio envolvido no aumento da próstata, calvície de padrão masculino e, possivelmente, câncer de próstata.

– Protege contra doenças renais: Pesquisas demonstraram que a astaxantina reduz a hipertrofia glomerular (correspondente ao glomérulo, parte do rim na qual ocorre a filtragem do sangue e a formação da urina) e a dilatação tubular. O efeito antioxidante da substância foi demonstrado como protetor das células que rodeiam os vasos sanguíneos nos rins. Essa descoberta sugere que ela pode ajudar a retardar a progressão de doença renal diabética, como a nefropatia diabética.

Riscos de consumo e efeitos colaterais

Até o momento não foi reportado nenhum efeito colateral significante em estudos clínicos. Não obstante, quando em altas doses (a partir de 50mg), o carotenoide pode causar uma cor alaranjada na pele.