As novas tendências na suplementação nutricional

Conforme estudos, segundo o site Pharma Innovation aponta, as novas tendências na suplementação nutricional em 2021, durante a pandemia, vão além da imunidade.

A pandemia do novo coronavírus trouxe mudanças de comportamento, de consumo e, ainda, no uso e na demanda dos suplementos nutricionais. A manutenção da saúde e a melhora do funcionamento do organismo, pelos consumidores, traz uma nova percepção de autocuidado, que é revelado com o crescimento do setor nos últimos anos, além de abrir perspectivas de desenvolvimento para o futuro.

Leia também: O impacto na alimentação durante a pandemia

Leia também: Dicas para preparar alimentos com segurança na era do coronavírus

Aumenta a busca por magnésio devido a sua relação com o sono e as emoções

Com o aumento do estresse psicológico, da ansiedade, da depressão e dos distúrbios do sono, os consumidores vêm buscando alternativas nutricionais para auxiliar na melhora destas condições. O Nutrition Business Journal estimou que em 2020, houve aumento de 30% na busca de suplementos voltados para o estresse e melhora do sono, o que provavelmente irá se manter em 2021.

Nesse cenário e na literatura científica, tem destaque o magnésio, um mineral que desempenha um papel fundamental em quase todos os aspectos da saúde, incluindo a função cerebral e o sono.

Zinco é um dos preferidos, devido ao seu efeito no sistema imunológico

Segundo um relatório da Fortune Business Insights, a pandemia de COVID-19 impulsionou a demanda por suplementos voltados à saúde imunológica em todo o mundo, sendo que o tamanho do mercado desses suplementos, que em 2019 foi de US$ 16,32 bilhões, está projetado para chegar a US$ 29,40 bilhões até 2027, com uma taxa de crescimento anual de 7,4%.

Ainda, nesse cenário, o zinco foi um dos suplementos que mais ganhou destaque devido a sua importância para a imunidade e sua potenciais propriedades antivirais, conforme estudos recentes na literatura científica.

Suporte metabólico da vitamina K?

O sedentarismo, as mudanças nos hábitos alimentares e no sono impactaram diretamente a homeostase corporal das pessoas durante a pandemia, podendo acarretar em distúrbios metabólicos. Dessa forma, a busca de suplementos que promovem o suporte metabólico e auxilie na perda de peso cresceu. Um nutriente de destaque neste cenário é a vitamina K2, que parece ter potencial associação ao metabolismo da gordura e da glicose por vários estudos, podendo potencializar a redução de gordura corporal conforme estudo publicado na European Journal of Clinical Nutrition.

O cuidado com a saúde ocular com a astaxantina

A pandemia também impulsionou o aumento drástico do uso de dispositivos eletrônicos devido ao trabalho em home office e a educação online, sendo que este maior período em frentes as telas pode levar ao ressecamento (xeroftalmia), vermelhidão e sensação de queimação.

Nesse contexto, a astaxantina se destaca como uma grande tendência de mercado. Segundo o relatório de mercado da Modor Intelligence, estima-se que o mercado global de astaxantina vai registrar um crescimento anual de 7,8% até 2025. Os estudos com este ativo demonstram benefícios para a saúde ocular como: favorece o processo de acomodação de olhos cansados, na resistência e recuperação do “tempo de tela”, na promoção da acuidade visual e na percepção de profundidade; alivia a fadiga ocular e o estresse oxidativo nos olhos; e promove a circulação e a nutrição dos olhos.

Fontes: Pharma Innovation; Food Connection