Arroz o segundo alimento mais consumido no mundo

O arroz é o segundo alimento mais consumido no mundo, sendo o terceiro cereal mais produzido em todo o globo e perdendo apenas para o milho e para o trigo, seu cultivo é tão antigo quanto a própria civilização. Se observarmos a ‘Pirâmide Alimentar‘, perceberemos que o arroz está no grupo dos alimentos energéticos, isto é, aqueles responsáveis pela maior parte dos nutrientes que nos garantem a energia necessária para a execução de nossas tarefas diárias, e que podemos consumir de cinco até nove porções diárias.

O melhor jeito de consumir o alimento ainda é apostar na tradicional combinação com feijão ou outra leguminosa, como lentilha ou grão-de-bico, essa dupla fornece um aporte proteico de boa qualidade e se complementa. Um prato de arroz com feijão tem proteínas semelhantes às de uma porção de carne.

O arroz branco ou arroz polido é o mais consumido no Brasil mas é o que possui menos vitaminas e por isso é importante consumir legumes e vegetais na mesma refeição para aumentar seu valor nutritivo, já que a maior parte das vitaminas estão presentes na casca do arroz que são retiradas durante o processo de branqueamento.

Qualquer variedade de arroz contém vitaminas do grupo B (B1, B2, B3, B6, B9), vitamina A, E, vitamina H, vitamina PP. Além das vitaminas, o arroz também contém uma abundância de minerais: alumínio, boro, vanádio, ferro, iodo, potássio, cálcio, cobalto, silício, magnésio, manganês, cobre, molibdênio, sódio, níquel, selênio, enxofre, flúor, fósforo, cloro, colina, cromo, zinco. Esta variedade de macro e micronutrientes garante o fluxo de processos metabólicos.

Leia também: Afinal glúten é prejudicial à saúde?

Leia também: Grão de Bico uma preciosidade alimentar

Tipos de arroz

Arroz Integral: Tem a parte externa do grão preservada, sendo retirada somente a casca. Isso faz com que suas vitaminas do complexo B, minerais e fibras sejam preservadas. Tem um tempo de cozimento um pouco maior que o arroz branco ou polido.

Arroz Parboilizado: Passa por um processo hidrotérmico no qual há o cozimento parcial dos grãos dentro de sua casca. Isso faz com que suas vitaminas sejam preservadas. Tem uma quantidade um pouco menor de fibras se comparado ao arroz integral.

Arroz Arbóreo e Cateto: Tem uma quantidade maior de amido se comparado aos outros. Por isso tem uma capacidade maior de reter temperos e formar cremosidade. Muito utilizados para preparações mais incrementadas como risotos, na sua versão sem ser polido, mantêm seu valor nutricional, porém tem um teor de vitaminas e fibras um pouco inferior ao integral.

Arroz Vermelho: Diferente dos anteriores, este contém antocianina, pigmento antioxidante que confere a cor avermelhada aos grãos e monocolina, substância que ajuda no combate a dislipidemias. Além disso, é rico em zinco e fibras.

Arroz Negro: Um dos que possuem maior valor nutricional, rico em compostos fenólicos que são antioxidantes, contém cerca de 30% a mais fibras se comparado ao arroz integral além de conter ferro em sua composição. Tem um sabor diferenciado se comparado aos outros, mas que não deixa a desejar.

Arroz Selvagem: Parecido com o arroz negro mas com o grão mais longo é uma espécie um pouco diferente dos outros tipos de arroz e pode ser encontrado com algumas variações dependendo de onde é cultivado. É rico em fibras, ferro, fósforo e proteína.

Arroz Branco ou Polido: O mais popular entre eles e de menor valor nutricional, passa por processo industrial no qual remove a camada exterior no grão onde contém a maioria das vitaminas, minerais e fibras. Deve ser consumido com moderação por promover um maior impacto na glicemia. Diabéticos devem evitar este tipo.

Benefícios do arroz para a saúde

– Fonte de energia: O Arroz é uma excelente fonte em hidratos de carbono, ele age como combustível para o corpo e auxilia no funcionamento normal do cérebro. Além disso, os carboidratos são essenciais para ser metabolizado pelo corpo e transformado em energia funcional, utilizáveis. As vitaminas, minerais e vários componentes orgânicos aumentam o funcionamento e atividade metabólica de todos os seus sistemas de órgãos, o que aumenta ainda mais os níveis de energia.

– Baixos níveis de gorduras e colesterol: O Consumo do arroz é extremamente benéfico para a sua saúde, ele não contém gorduras nocivas, colesterol ou sódio. Ele forma uma parte integrante da dieta equilibrada. Os baixos níveis de gordura, colesterol e sódio também ajudará a reduzir a obesidade e as doenças associadas ao excesso de peso.

– Não contém glúten: O arroz não contém glúten, esta é uma característica única do arroz, em comparação com outros cereais, que geralmente, possuem esta proteína, motivo pelo qual é muito usado como ingrediente, quase obrigatório, na mesa de celíacos.

– Ajuda regular a pressão arterial: O Arroz é pobre em sódio, por isso é considerado um dos melhores alimentos para aqueles que sofrem de alta pressão arterial e hipertensão. O sódio pode causar a contração das veias e artérias, aumentando o estresse e tensão sobre o sistema cardiovascular, com isso a pressão arterial aumenta. Isto também está associada com doenças cardíacas, como a aterosclerose, ataques cardíacos e derrames.

– Previne o câncer: O arroz integral é rico em fibras insolúveis que pode proteger contra muitos tipos de câncer. Muitos cientistas e pesquisadores acreditam que tais fibras insolúveis são vitais para proteger o organismo contra o desenvolvimento e metástase de células cancerosas. A fibra é benéfica na defesa contra o câncer colorretal e intestinal, no entanto, além da fibra, o arroz também tem antioxidantes naturais, como a Vitamina C, Vitamina A, compostos fenólicos e flavonoides, os quais também atuam como antioxidantes ou estimulam a limpeza do corpo os radicais livres. Os radicais livres são subprodutos do metabolismo celular que pode fazer sérios danos aos seus sistemas de órgãos e causar a mutação de células saudáveis em cancerosas.

– Previne a doença de Alzheimer: O Arroz castanho contêm altos níveis de nutrientes que estimulam o crescimento e a atividade de neurotransmissores, subsequentemente, ajudando a prevenir a doença de Alzheimer. Várias espécies de arroz selvagem tem se mostradas estimulantes de enzimas neuro protetoras no cérebro, os quais inibem os efeitos dos radicais livres e outras toxinas perigosas que podem provocar demência e doença de Alzheimer.

– Propriedades digestivas e diuréticas: A casca do arroz é considerada um medicamento eficaz para tratar a disenteria e tem propriedades diuréticas, podendo eliminar as toxinas do corpo, como o ácido úrico, e até mesmo perder peso, uma vez que cerca de 4% da urina é composta de gordura corporal.

– Melhora o sistema imunológico: O arroz é uma excelente fonte de vitaminas e minerais, que fornecem a base para o metabolismo do corpo, a saúde do sistema imunológico e do funcionamento geral dos sistemas de órgãos.

– Ajuda na saúde cardiovascular: O óleo do farelo de arroz é conhecido por ter propriedades antioxidantes que promovem a força cardiovascular, reduzindo os níveis de colesterol no organismo. O arroz selvagem e as variedades de arroz marrom são muito mais eficientes neste sentido uma vez que a casca do grão é onde a maior parte dos nutrientes são encontradas, e ela é removida na preparação do arroz branco.

– Rico em amido resistente: O arroz é rico em amido resistente, que atinge o intestino de uma forma não digerida. Este tipo de amido estimula o crescimento de bactérias úteis que ajudam com os movimentos intestinais normais. É muito útil na redução dos efeitos de condições como a síndrome do intestino irritável (IBS) e diarreia.

Riscos de consumo e efeitos colaterais

Pacientes diabéticos devem preferir arroz integral ao branco, pois essa variedade possui baixos índices de conteúdo glicêmico.