Alimentos práticos que devem ser evitados na alimentação infantil

É comum em muitas famílias o hábito de ter guardado na despensa alimentos industrializados voltados para o público infantil, eles são práticos e saborosos, mas que devem ser evitados na alimentação infantil. Em muitos dos casos, estão ali como um “agrado”, um belisco ou até mesmo para ter algo prático para dar para a criança. Algumas pessoas acreditam que tais itens são bobeiras inocentes e que não causarão prejuízo. Porém, para termos sucesso na formação dos bons hábitos alimentares das crianças são necessárias boas escolhas alimentares e atenção ao ambiente em que a criança está inserida.

Muitas mães, pais e cuidadores, na busca de oferecer o melhor para seus filhos, se enganam nas escolhas, seja pelo marketing ou até mesmo por não buscar maiores informações sobre a composição dos produtos, analisando os rótulos e se atentando para a composição da lista de ingredientes. Isso causa ilusão quanto a alguns alimentos, “escondendo” as pegadinhas existentes na composição do produto.

Leia também: A influência da mídia na alimentação infantil

Leia também: A formação do paladar é determinada até os 10 anos

Para ajudar, listamos a seguir cinco dos principais alimentos que são frequentemente oferecidos ao público infantil, algumas vezes pela praticidade, outras por se ter a ideia que são nutritivos, mas na verdade não são!

Suco de caixinha

Na rotina corrida se torna atrativo optar por sucos prontos de caixinha até com a ideia de trocar refrigerantes na alimentação da criança. Porém, é preciso saber que a maioria das opções é composta por água, excesso de açúcar, conservantes e pouquíssimo da fruta.

O ideal é fazer o suco natural, com a fruta fresca, sem adição de açúcar, para ser consumido no momento do preparo, sendo assim mais nutritivo, com o açúcar natural da fruta e rico em fibras alimentares.

Macarrão instantâneo

O macarrão instantâneo é bastante consumido e oferecido para as crianças no raciocínio de que é algo inocente. É preciso atenção à lista dos ingredientes, pois se trata de uma opção nada nutritiva, rica em gorduras e com quantidades absurdas de sódio (equivalente a aproximadamente 60% da necessidade diária).

Ainda que sejam desprezados os temperos que acompanham o produto em sachê, o alimento continua sendo uma opção nutricionalmente pobre para ser consumido na rotina alimentar.

Sobremesa láctea

Sobremesas lácteas, como o queijo petit suisse ou as versões de sabor de chocolate, baunilha e similares, passam a ideia de uma oferta alta de nutrientes e fazem bastante sucesso com as crianças.

Não se enganem com esta escolha pela aparência de iogurte, pois o potinho atrativo tem bem menos quantidade de cálcio que uma versão de iogurte natural convencional ou um copo de leite simples. Além disso, esses produtos são gordurosos e também oferecem pouca proteína por porção. No lugar da fruta, que seria um componente nutritivo, muitos contêm aromas e corantes artificiais que devem ser evitados nos primeiros anos de vida, pois estão relacionados a uma série de problemas, como alergias e até hiperatividade. Uma boa opção para esta oferta seria fazer a substituição por uma mistura de iogurte natural com uma fruta.

A mistura pode ser feita com frutas congeladas, garantindo mais cremosidade. Porém, é necessário aguardar um intervalo de uma hora a uma hora e meia depois das principais refeições para não comprometer a absorção de ferro das fontes vegetais.

Gelatina

Ela é vista como uma boa opção de sobremesa nutritiva, mas é nada saudável para compor a rotina diária da alimentação de uma criança. Sua composição é um risco nos primeiros anos para o desenvolvimento de alergias por conta da alta exposição aos corantes.

Em relação à questão nutritiva, não é interessante e possui em sua composição grande quantidade de açúcares, conservantes e flavorizantes. Já as versões diet são compostas de adoçantes artificiais. Uma opção saudável para ser oferecida para crianças são os sucos de frutas naturais e o ágar-ágar.

Bolachas recheadas

São as queridinhas do mundo infantil e muitas chamam a atenção por serem enriquecidas de vitaminas e minerais – mas é necessário saber que este fato não faz com que o produto deixe de ser uma opção ultraprocessada sem nutrientes adequados.

Portanto é mais um alimento que compõe a alimentação das crianças e que merece ser repensado. Em vez de bolachas recheadas, opte por um bolo simples e caseiro e frutas bem maduras que são bem mais doces e nutritivas.

Salgadinhos de pacote

Os salgadinhos têm lugar nas lancheiras das crianças por virem em pacotes chamativos e serem extremamente práticos e palatáveis. Em relação à questão nutricional, porém, fazem parte da lista de alimentos com “calorias vazias”, que não trazem qualquer suporte nutritivo. Ainda reduzem a procura da criança por legumes e verduras, pois ocorrem alterações nas suas papilas gustativas que passam a procurar cada vez mais pelos excessos de sal e pela textura que é conferida ao alimento pela quantidade de gordura.

Fonte: Minha Vida