Alecrim aroma e sabor extremamente agradável e peculiar

O alecrim (Rosmarinus officinalis) é uma erva aromática originária da região do Mediterrâneo, com aroma e sabor extremamente agradável e peculiar. Com folhas estreitas, pontiagudas e caule lenhoso, apresenta flores azuis e formato de arbustos (que pode chegar a dois metros de altura).

Fresco (preferencialmente) ou seco, a erva é muito utilizada na culinária internacional para a preparação de aves, carne de porco, salsichas, linguiças e batatas assadas. Na Itália é utilizado em assados de carneiro, cabrito e vitela. Em churrascos, recomenda-se espalhar um bom punhado sobre as brasas do carvão aceso, perfumando a carne e difundindo um agradável odor no ambiente. Pode ser utilizado ainda em sopas e molhos. 

O alecrim também é muito utilizado na medicina popular, em forma de chá, preferencialmente com as folhas frescas, já que o potencial terapêutico pode ser encontrado principalmente no óleo de essencial de alecrim, cuja concentração é maior nas folhas frescas que nas secas. Também é possível encontrar o óleo essencial de alecrim, o qual tem diversas aplicações terapêuticas.

Leia também: Ervas aromáticas

Leia também: O papel dos antioxidantes em nosso organismo

Rico em compostos flavonoides, terpenos e ácidos fenólicos que lhe proporcionam propriedades antioxidantes. Além disso, o alecrim é antisséptico, depurativo, antiespasmódico, antibiótico e diurético. A planta ainda contém em sua composição nutricional vitaminas A, C e vitaminas do complexo B, além de minerais como: cálcio, ferro, potássio, magnésio, fósforo, sódio e zinco.

Tipos de alecrim

Pode-se dizer que existem dois tipos de alecrim: o comum e o alecrim do campo, enquanto no alecrim comum brotam flores de pétalas roxas, no alecrim do campo surgem pétalas amarelas.

Apesar de serem plantas “diferentes”, tanto o alecrim quanto o alecrim do campo possuem as mesmas propriedades medicinais para a saúde. Além disso, o alecrim do campo também é utilizado na fabricação de alguns produtos específicos, como óleos essenciais à base de nerolidol e a própolis verde.

Benefícios do alecrim

– Ação antioxidante e anti-inflamatória: Rica em compostos fenólicos, o alecrim, possui forte ação antioxidante. Esses compostos agem combatendo os radicais livres e previnem problemas como o câncer, derrames e doenças cerebrais degenerativas como mal de Parkinson e Alzheimer.

– Melhora a digestão: O chá de alecrim pode ser tomado logo a seguir o almoço ou o jantar, sendo útil para melhorar o processo digestivo, ajudando a combater a acidez e o excesso de gases. Dessa forma, diminui a distensão abdominal e a falta de apetite.

Doses diárias do chá ou da tintura de alecrim também são indicados para redução de gases intestinais, responsáveis pelo incômodo de muitas pessoas, por ter ação carminativa.

– Antibiótico natural: Devido às suas propriedades medicinais, o alecrim possui ação antibiótica, sendo mais eficaz contra as bactérias Escherichia coli, Salmonella typhi, Salmonella enterica e Shigella sonnei, que são normalmente relacionadas com infecção urinária, vômito e diarreia.

– Combate gripes, refriado e tosse: A Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP) concluiu que o alecrim ajuda a combater o vírus da gripe. Ainda, este alimento conta com ação expectorante e, então, também é interessante em casos de tosse. 

– Melhora a função cognitiva: Certos compostos antioxidantes encontrados no alecrim, tais como o ácido carnósico, estimulam a memória e protegem os caminhos neurais de substâncias nocivas, o que contribui para a função cognitiva. Alguns nutrientes da erva desempenham um papel importante na formação da bainha de mielina. Se a bainha de mielina que envolve a fibra nervosa for lesada ou destruída, os impulsos nervosos se tornam cada vez mais lentos ou não são transmitidos.

– Possui ação diurética: O chá de alecrim é um excelente diurético natural, podendo ser utilizado em dietas para baixar de peso e combater a retenção de líquidos no corpo. Esse chá aumenta a produção de urina estimulando o organismo a eliminar os líquidos e as toxinas acumuladas.

– Auxilia o tratamento da diabetes: O alecrim conta com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias que podem apresentar benefícios para quem tem doenças crônicas não-transmissíveis nas quais o estresse oxidativo e a inflamação atuam de forma significativa, como diabetes.

– Protege a saúde do fígado: O alecrim pode atuar melhorando o funcionamento do fígado e diminuindo a dor de cabeça que surge depois da ingestão de bebidas alcoólicas ou ter comido em excesso, principalmente comidas com grande teor de gordura. 

Como preparar o chá de alecrim

Adicione cinco gramas de alecrim (de preferência fresco) em 150 ml de água fervente e deixe repousar por aproximadamente 10 minutos, devidamente tapado. Coar, deixar amornar e tomar, sem adoçar, de três a quatro vezes por dia.

Utilização religiosa do alecrim

Em templos e igrejas, o alecrim é queimado como incenso desde a antiguidade. Na Igreja Ortodoxa grega, o seu óleo é utilizado até aos nossos dias, para unção. Nos cultos de religiões afro, como umbanda e candomblé, é utilizado em banhos e como incenso.

Riscos de consumo e efeitos colaterais

O chá de alecrim é considerado bastante seguro, no entanto, quando consumido em excesso pode causar náuseas e vômitos.

O chá de alecrim não deve ser consumido durante a gravidez, a amamentação e por crianças com menos de cinco anos. As pessoas que possuem doença do fígado também não devem consumir esse chá, uma vez que promove a saída da bílis, o que poderia piorar os sintomas e a doença.

Além disso, poderia interagir com alguns medicamentos, como anticoagulantes, diuréticos, lítio e medicamentos para regular a pressão arterial, e, por isso, caso a pessoa esteja fazendo uso de algum desses medicamentos é importante consultar o seu médico antes de tomar o chá de alecrim.

No caso do óleo essencial, não deve ser aplicado diretamente sobre a pele, já que pode causar irritação, além de também não ser usado em feridas abertas.