Alcaçuz e sua raiz extremamente doce

O regaliz (Glycyrrhiza glabra L.) ou alcaçuz, como é popularmente conhecido, embora seja uma planta com fruto, considerado um legume, a parte mais utilizada é sua raiz, de sabor extremamente doce, de onde se extrai o xarope de alcaçuz. As suas propriedades benéficas têm sido exaustivamente investigadas nas últimas décadas, mas o seu uso data de vários séculos. 

Existem cerca de 20 espécies diferentes de alcaçuz crescendo por partes da Europa, Ásia, América do Norte, América do Sul e Austrália. Essa planta é muito utilizada na culinária, principalmente nos Estados Unidos (para produzir as famosas balas de alcaçuz), na indústria cosmética e até na produção de cerveja. Ela também é utilizada como aromatizante e seu consumo é muito comum na forma de chá. O alcaçuz é considerado um fitoterápico e pode ser encontrado à venda em lojas de produtos naturais, feiras e farmácias de manipulação.

O ingrediente ativo do alcaçuz, a glicirrizina (ácido glicirrízico), é 50 vezes mais doce do que a sacarose (açúcar), porém deixa um sabor residual na boca. Ele é um agente anti-inflamatório amplamente utilizado isolado da raiz de alcaçuz. A glicirrizina é um composto de tipo saponina que fornece o principal sabor doce para a raiz da planta, com potenciais atividades imunomoduladoras, anti-inflamatórias, hepatógenas e neuro-protetoras e antineoplásicas. Glicirrizina modula certas enzimas envolvidas na inflamação, protegendo assim os danos induzidos pela inflamação e oxigênio reativo (ROS).

Leia também: O que é Fitoterapia?

Leia também: Tudo que você precisa saber sobre suplementos alimentares – parte 1

O alcaçuz possui uma alta quantidade de calorias (375Kcal a cada 100 gramas) e carboidratos (94 gramas a cada 100 gramas do alimento). O alimento contém diversos nutrientes importantes para a manutenção da nossa saúde, incluindo uma ampla gama de vitaminas, minerais e fitonutrientes antioxidantes. Ele é uma ótima fonte de vitaminas como a vitamina B1 (tiamina), vitamina B2 (riboflavina), vitamina B3 (niacina), vitamina B5 (ácido pantotênico) e vitamina E (tocoferol). Também é rica em minerais como o fósforo, ferro, magnésio, zinco, cálcio, potássio, silício e selênio.

Como consumir o alcaçuz’

Pode usufruir dos benefícios desta planta de várias formas. Por infusão (50 gramas da raiz para um litro de água) deve-se tomar cerca de três a quatro xícaras por dia. Também é possível consumir o extrato de alcaçuz que se encontra disponível no mercado sob a forma de gomas de cor preta e de sabor bastante acentuado. Esta planta apresenta-se também sob a forma de cápsulas, vendido como suplemento alimentar.

Não consuma mais de 15 gramas da raiz (ou 600 miligramas de ácido glicirrízico) em um dia, e não a tome por mais de seis semanas (leia abaixo os riscos de consumo e efeitos colaterais).

Benefícios do alcaçuz

– Promove a saúde do trato respiratório: A raiz do alcaçuz é um remédio natural, por isso, é usada há tantos anos, geralmente na forma de chá. Em especial, seu uso mais comum é no tratamento de problemas respiratórios, como bronquite, tosse, o acúmulo de catarro e demais sintomas de resfriados devido à ação expectorante.

– Combate dores de garganta: A raiz alcaçuz é boa para quem tem irritações na garganta, pois conta com glicirrizina que atua na mucosa da traqueia produzindo efeito sedativo. Além disso, essa mesma substância tem ação anti-inflamatória, o que é bom em casos de inflamação na região.

– Fortalece a imunidade: A raiz da planta promove ação anti-inflamatória. Sendo assim, previne que doenças e infecções impactem negativamente a saúde do organismo. Ainda, segundo um estudo da Universidade de Pequim, na China, a raiz de alcaçuz é antiviral e antimicrobiana

– Diminui o colesterol: A raiz de alcaçuz possui saponósitos que tem ação anti-inflamatória e ajudam na formação de complexos insolúveis entre saponina e colesterol, o que irá ajudar a reduzir o colesterol do sangue. Além disso, o alimento possui fitoesterois e diversos estudos têm indicado a importância destas substâncias para quem quer controlar as taxas de colesterol no organismo.

– Protege o fígado: Estudos apontam que as propriedades anti-inflamatórias da raiz de alcaçuz, como os saponósitos, ajudam o fígado a combater toxinas produzidas pela difteria e tétano, entre outras doenças. Por isso, o consumo do alimento é orientado para pessoas que estão com hepatite C.

– Combate sintomas de alergias: O alcaçuz é anti-histamínico, ou seja, combate a ação da histamina no corpo. Em resumo, a histamina é um mediador químico envolvido nas respostas imunológicas produzidas pelo corpo. Respostas imunológicas como alergias, por exemplo. Sendo assim, pode ajudar a acalmar reações alérgicas diversas.

– Protege o estômago: A raiz de alcaçuz é uma boa alternativa para quem sofre com úlceras. Isto porque ao ser ingerido o alimento irá recobrir o estômago com um tipo de gel protetor, evitando lesões. Além disso, a raiz de alcaçuz irá diminuir a acidez estomacal e assim vai atenuar azia, gases e cólicas.

– Possui ação antioxidante: A raiz de alcaçuz age combatendo os radicais livres e desta maneira previne uma série de doenças, entre elas o câncer. As substâncias que se destacam pela ação antioxidante são os flavonoides.

Riscos de consumo e efeito colaterais

O alcaçuz não é indicado para pessoas com problemas cardiovasculares, problemas renais, gestantes e hipertensos. Isto porque o consumo de altas doses do alimento pode causar o aumento da pressão sanguínea e dores de cabeça, já que causam uma retenção de sódio e perda de potássio devido a sua ação diurética.

O alcaçuz está contraindicado para grávidas, mulheres em fase de lactação e pacientes com anemia, pressão alta, glaucoma, problemas cardíacos ou que usam anticoncepcionais orais e remédios para reposição hormonal.