Açúcar mascavo mantém a maior parte dos seus nutrientes

O açúcar mascavo, também chamado de açúcar moreno, açúcar bruto ou gramixó, é considerado o mais saudável extraído da cana de açúcar, pois não passa por nenhum processamento ou clarificação, mantendo sua cor que vai do caramelo ao marrom, desta forma mantém a maior parte dos seus nutrientes, ao contrário do açúcar branco, ou refinado, que é um dos maiores vilões da nossa saúde.

Em termos de composição nutricional o açúcar demerara também perde para o mascavo, já que este também é submetido a um leve processamento. Podemos dizer que açúcar mascavo é uma versão mais integral dos cristais de açúcar da cana e por isso possui um sabor mais característico e forte que os demais.

Apesar de ser mais saudável que o açúcar refinado e o demerara, o açúcar mascavo, como qualquer tipo de açúcar, possui grande quantidade de calorias e estimula o aumento da glicemia, que é o açúcar no sangue, e esse aumento estimula a produção de gordura no corpo. Sendo assim, todo tipo de açúcar deve ser consumido moderadamente.

Leia também: Alimentos orgânicos mais saudáveis para a alimentação humana

Leia também: Diabetes Parte 3 – o papel da Nutrição no tratamento da diabetes

Cada 100 gramas do alimento possui em sua composição nutricional 380 Kcal e 98,9 gramas de carboidratos, além de 0,12 gramas de proteínas. Ainda possui vitaminas do complexo B e minerais como cálcio, ferro, manganês, magnésio, fósforo e potássio.

Benefícios do açúcar mascavo

– Aumenta a energia: Uma das vantagens do açúcar mascavo é que ele causa um pico de glicemia menor do que o refinado, distribuindo a energia de forma melhor. Alguns dos seus elementos também estão relacionados a síntese proteica, por isso também são importante para a prática de atividade física.

– Auxilia na saúde dos ossos e dentes: A presença do cálcio no açúcar mascavo é importante porque essa substância tem um efeito na manutenção de ossos e dentes. Portanto, é relevante em todas as fases da vida e um forte aliado no combate a osteoporose.

– Promove a saúde da musculatura: Por conta também do cálcio e do potássio, o açúcar mascavo auxilia também nas questões que envolvem contrações musculares, sendo eficiente contra as câimbras. Assim, substituir o açúcar refinado pelo mascavo é favorável tanto para quem deseja ganhar massa magra, quanto na manutenção do nosso corpo no dia a dia.

– Ajuda a regular o metabolismo: O fósforo, mineral presente na composição do açúcar mascavo, aumenta a capacidade de absorção correta das proteínas e carboidratos, auxiliando a regular o nosso metabolismo. Além disso, ele também compõe o nosso DNA, sendo essencial para a formação das células do nosso corpo.

– Melhora o funcionamento do intestino: Por não conter aditivos químicos esse tipo de açúcar preserva a nossa microbiota intestinal, mantendo as ‘bactérias boas’, que contribuem com o processo digestivo e ajudam a fortalecer o nosso sistema imunológico.

– Promove a qualidade do sono: O açúcar mascavo, como já foi dito, possui magnésio, e ingestão desse mineral é muito relacionada com o sono, porque ele regula a melatonina, conhecida como o ‘hormônio do sono’.

Como é o processo de fabricação do açúcar mascavo

A primeira etapa presente em todos os engenhos é a moagem da cana, quando é extraído o suco conhecido como caldo de cana ou garapa. Esse caldo é conduzido até um tanque, o parol, onde é armazenado.

Então esse caldo de cana é levado a grandes tachos de cobre, e submetido a fogo brando e fervido até atingir o ponto, ou seja, se transformar em mel. Esse ‘mel-de-engenho’ é transferido para um tanque onde será submetido a agitação, para acelerar a cristalização do açúcar.

O mel, então, é distribuído em formas cônicas, dispostas em uma bancada, onde fica até esfriar. Após a cristalização, o mel excedente (não cristalizado), é extraído (por decantação), através de um orifício na parte inferior da forma. Esse mel, chamado ‘mel de furo’ ou melaço, tem outras utilizações, entre elas, também, a fabricação de cachaça, após fermentação por alguns dias.

O açúcar cristalizado, em forma de pão, que recebe o nome inicial de ‘pão de açúcar’, é desenformado, chamando-se, então, açúcar mascavo, que é comercializado para utilização dessa forma, antes de sofrer qualquer processamento ou processo de clarificação, como o açúcar demerara ou açúcar refinado.

Riscos de consumo e efeitos colaterais

A alta glicemia do açúcar acaba estimulando a produção de insulina, motivo pelo qual não é recomendado que diabéticos o consumam. Ainda que a energia seja mais distribuída ao longo do dia, por conta dos nutrientes e do formato, o açúcar mascavo ainda tem o potencial de elevar muito a quantidade açúcar no sangue.

Além do excesso de glicemia, a alta quantidade de calorias presentes no açúcar mascavo pode gerar um ganho de peso, caso consumido em excesso. Apesar de estar mais próximo do natural e ser mais rico em vitaminas e minerais que o açúcar refinado e o demerara, o açúcar mascavo ainda é um açúcar, e em taxas muito grandes de consumo, ele ainda está relacionado a efeitos como a obesidade.

Apesar de elementos como o cálcio, que ajudam na contração dos músculos do coração, o açúcar mascavo ainda pode causar alguma doença cardíaca. Além da relação com aumento de peso, qualquer quantidade excessiva de açúcar pode ter efeitos negativos na saúde do coração.